Vendas

Como importar dos EUA: entenda as regras para revender no Brasil!

Como importar dos EUA: entenda as regras para revender no Brasil!

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Como importar dos EUA é uma dúvida comum entre empreendedores que querem expandir suas vendas ou iniciar um negócio. Produtos importados dos Estados Unidos são bastante procurados pelos brasileiros e podem ser uma ótima oportunidade para revenda ou dropshipping.

Saber como importar dos EUA pode ser uma grande oportunidade para empreendedores do Brasil. Tanto no dropshipping quanto na revenda, as empresas que fazem importação do exterior podem ampliar e qualificar seu mix de produtos e agradar seus clientes.

Produtos importados dos Estados Unidos fazem sucesso no Brasil. Além de ampliar as opções para os consumidores, com marcas que não são encontradas facilmente por aqui, eles podem ser vendidos por preços atrativos e gerar maior margem de lucro para os vendedores.

Neste artigo, vamos analisar as principais informações para você saber como importar dos EUA com segurança e conhecer os principais sites e produtos para ter mais sucesso. Siga conosco!

Importar dos EUA para vender no Brasil: afinal, vale a pena?

Importar dos Estados Unidos pode ser uma oportunidade bastante lucrativa e vantajosa para seu negócio.

Lá você pode encontrar uma grande variedade de produtos, com grande qualidade, que são bastante requisitados pelos brasileiros. Produtos eletrônicos, roupas, acessórios e brinquedos estão entre os produtos importados dos EUA mais procurados. 

A seguir, listamos as principais vantagens de importar dos EUA para vender no Brasil:

  • Existem muitos produtos americanos que não têm no Brasil ou que demoram muito para chegar até aqui;
  • Diversas marcas renomadas e produtos de qualidade têm preços mais em conta nos Estados Unidos que no Brasil;
  • Existe uma grande variedade de produtos para ampliar o mix da sua loja;
  • Você pode obter margens de lucro maiores e conquistar mais clientes com produtos importados como atrativo.

Ao comprar nos Estados Unidos, você deve se atentar a uma questão importante: as flutuações do dólar. Como você vai comprar na moeda estadunidense, é importante verificar como está a cotação.

Outro cuidado importante é quanto à idoneidade dos fornecedores. Comprar do exterior pela internet pode gerar certa insegurança. Mas, se você buscar informações em sites confiáveis, pode lidar com a importação dos produtos com mais tranquilidade e evitar tentativas de fraudes. 

Além disso, para aproveitar as vantagens da importação de produtos dos Estados Unidos, é preciso conhecer as regras. O Brasil tem uma regulamentação para importar produtos do exterior, além de impostos que você deve pagar.

Cumprir as regras e pagar as taxas é fundamental para ter sucesso nesse tipo de negócio e evitar problemas com a alfândega brasileira. A seguir, você vai saber quais regulamentações você deve seguir.

Quais são as regras para importar dos EUA? Conheça os limites, impostos e taxas de importação

Conheça as taxas e regras para importar produtos dos Estados Unidos!
Conheça as taxas e regras para importar produtos dos Estados Unidos!

Importar dos EUA envolve uma série de regras que são válidas para qualquer importação do exterior para o Brasil. A seguir, vamos entender melhor quais são os limites, impostos e taxas envolvidos na importação dos Estados Unidos:

Limites de importação

Para pessoas jurídicas, não existe um valor limite de importação de produtos. No entanto, algumas regras variam de acordo com o valor das compras no exterior.

Nas compras de produtos importados de até U$ 3 mil, as empresas entram na Importação Simplificada; acima desse valor, elas aderem à Importação Formal. O que muda entre essas modalidades são as alíquotas de impostos e a documentação necessária para importação. Logo mais, vamos entender melhor a diferença entre eles.

Já para pessoas físicas, o limite é de U$ 3 mil (incluindo apenas o produto). Acima desse valor, a compra é considerada de pessoa jurídica, tendo que seguir as mesmas regras que uma empresa na Tributação Formal. Em viagens, os passageiros podem sair do país com compras de até U$ 800.

Além disso, o programa Remessa Conforme, lançado em agosto de 2023, instituiu a isenção do Imposto de Importação para as compras online no exterior de até U$ 50, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. Mas essa isenção vale apenas para os fornecedores que aderirem ao programa.

Impostos e taxas de importação

O principal tributo envolvido nas transações de compras do exterior é o Imposto de Importação. Sua alíquota padrão é de 60% sobre a compra, incluindo o frete, mas pode variar dependendo do valor. Além disso, pode haver outras taxas dependendo da modalidade de tributação.

Na Tributação Simplificada, para compras de até U$ 3 mil, estes são os impostos incidentes:

  • Imposto de Importação: alíquota única de 60% sobre o valor total da compra, incluindo o produto, frete, seguro e outras taxas (isenção do imposto para compras de até U$ 50, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas);

  • ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): alíquota de 17% sobre o valor total da compra.

Além disso, nas compras de até U$ 3 mil, as empresas não precisam pagar o despachante aduaneiro nem se cadastrar no Siscomex, o Sistema Integrado de Comércio Exterior que o governo brasileiro utiliza para monitorar as importações no país.

Já quando as compras do exterior excedem o valor de U$ 3 mil, a Tributação Formal inclui os seguintes impostos:

  • Imposto de Importação: alíquota proporcional ao valor do produto;
  • ICMS: alíquota de 17% sobre o valor total da compra;
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);
  • PIS-Importação (Programa de Integração Social);
  • Cofins-Importação (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

Quando as compras excedem o valor de U$ 3 mil, também é necessário fazer a habilitação no Siscomex, preencher a Declaração Única de Importação, além de pagar a taxa de despacho aduaneiro cobrada pelos Correios ou pelo courier contratado.

O seguro da carga não é obrigatório, mas é recomendado para evitar problemas no caso de imprevistos no caminho. Podem ainda incidir outras taxas sobre determinados produtos.

É importante lembrar também que o frete tende a ser um custo significativo das compras nos EUA. Existem diferentes opções de frete, que podem percorrer o caminho todo até a entrega ou fazer o transporte até o ponto de chegada no Brasil (porto ou aeroporto), de onde sai outro transportador brasileiro até o endereço final.  Mais adiante vamos conhecer melhor as opções.

Como importar produtos dos EUA? Siga o passo a passo

Se você deseja importar dos EUA para ampliar seus negócios, é importante conhecer as regras, limites, taxas e isenções. No entanto, essa é apenas uma parte: você ainda precisa ter uma plataforma de vendas no e-commerce e uma estratégia eficaz para promover esses produtos com seus clientes.

A seguir, acompanhe conosco o passo a passo desde o planejamento do negócio, a importação dos produtos e as vendas no Brasil. 

Saiba tudo sobre importar produtos dos Estados Unidos!
Saiba tudo sobre importar produtos dos Estados Unidos!

1. Legalize seu negócio para importação

O primeiro passo para comprar produtos importados dos EUA para vender no Brasil é regularizar o seu negócio para isso. Na hora registrar a sua empresa, as atividades de importação e exportação devem contar na razão social, além de todos os outros dados do CNPJ, como capital social, endereço, enquadramento jurídico, entre outros.

Caso a sua empresa faça compras no exterior acima de U$ 3 mil, é preciso também habilitá-la no Siscomex, por meio do Requerimento de Habilitação ao Comércio Exterior. Então, em uma unidade de atendimento da Receita Federal, você deve solicitar o acesso ao sistema.

2. Faça uma pesquisa de mercado completa 

A pesquisa de mercado é fundamental para o sucesso do seu negócio de importação, assim como em qualquer empresa. Essa etapa faz parte do planejamento estratégico e ajuda a ter um panorama sobre o nicho, o público-alvo e os concorrentes.

Na pesquisa de mercado, identifique as características do segmento, as preferências dos consumidores, quais atributos eles valorizam nos produtos, quais os preços praticados pelos concorrentes e quais lacunas eles estão deixando no mercado que você pode aproveitar.

3. Faça um bom planejamento estratégico e financeiro

Além da pesquisa de mercado, o planejamento deve envolver também as análises de forças e fraquezas da empresa, as oportunidades e ameaças do ambiente de negócios, a definição de objetivos e metas, as estratégias de marketing, logística e estoque, além do plano de finanças.

Sobre o planejamento financeiro, vale uma atenção especial, já que a importação dos Estados Unidos pode envolver inúmeras taxas e impostos que devem ser contabilizados. Adote formas de controle dos custos, do fluxo de entradas e saídas do caixa e dos resultados de cada exercício. Dessa forma, você consegue gerenciar e planejar melhor as finanças.

4. Acompanhe as notícias sobre a cotação do dólar

Importar dos Estados Unidos é uma atividade sujeita à cotação do dólar. Nos períodos em que o dólar está em baixa, você pode comprar os produtos por preços mais baixos após a conversão e ter margens de lucro maiores. Por outro lado, quando o dólar está muito elevado, é provável que as suas margens de lucro diminuam.

Por isso, procure acompanhar as notícias sobre a cotação do dólar. Ainda que o câmbio não seja previsível, é possível ficar de olho nas cotações do período e aproveitar janelas de oportunidade para comprar os produtos em um valor de dólar mais baixo.

5. Busque fornecedores nos Estados Unidos

Um dos aspectos mais sensíveis de um negócio de importação é encontrar fornecedores confiáveis no estrangeiro. Muitas vezes, há desconfiança e insegurança por se tratar de outra língua e outra cultura, mas é possível investigar sobre eles na internet para se certificar da sua idoneidade.

Faça uma pesquisa sobre a reputação da marca e o seu histórico na atividade de exportação. Saiba também as condições de garantia, o suporte oferecido e a qualidade dos produtos, bem como os preços praticados. Mais adiante, vamos indicar alguns sites de confiança para importar dos EUA.

6. Negocie com os fornecedores

Ao selecionar os fornecedores com quem você deseja trabalhar, entre em contato com eles. Tire todas as suas dúvidas e proponha negociações de valores. Nas compras por atacado, a negociação tende a ser ainda mais aberta devido ao volume das compras.

Para ter mais confiança na compra, solicite uma amostra dos produtos. Dessa maneira, você pode verificar a qualidade dos produtos e avaliar a capacidade do fornecedor de cumprir prazos. Por fim, estabeleça um contrato com os fornecedores, que deixe claras as condições negociadas, valores e acordos entre todas as partes.

7. Analise as opções de frete

O valor do frete internacional pode elevar bastante o preço final da compra. Por isso, merece uma atenção especial no planejamento das suas atividades de importação.

Caso o envio seja feito pela USPS (correio oficial dos EUA), existem duas opções principais de frete para o Brasil: First Class (para remessas que pesem até 4 libras) e Priority Mail (até 66 libras), que costuma ter um prazo de entrega mais rápido.

Mas se o envio for feito por uma transportadora, os Correios oferecem duas opções de frete: Packet Standard (até 65 libras) ou Packet Express (até 6 libras). Chegando ao Brasil, os pedidos são enviados pelos Correios na modalidade PAC (Packet Standard) ou Sedex (Packet Express).

Você também pode contar com um redirecionador de encomendas, que é uma empresa responsável por intermediar as compras da sua loja com os fornecedores estrangeiros e consolidar o envio dos produtos.

9. Escolha uma plataforma de vendas simples e segura

Além de planejar a importação de produtos dos EUA e preparar o seu negócio para isso, é importante pensar em como vender os produtos por aqui. Afinal, você precisa efetuar as vendas para gerar o lucro tão esperado sobre os produtos importados.

Criar uma loja virtual é o ideal para isso. Você pode criar e gerenciar seu próprio ambiente de vendas por meio de uma plataforma de e-commerce. No app da Bagy, você tem todos os recursos que precisa para oferecer uma experiência de compra simples e segura ao cliente, além de receber os pedidos e gerenciar os envios.

Você pode ainda integrar com a Dropi, um intermediador de vendas por dropshipping que conecta a sua loja a grandes fornecedores do exterior. Para ampliar seu público, você pode também integrar a loja com os principais marketplaces da internet, como Mercado Livre e Shopee.

Os melhores sites para importar dos Estados Unidos

A seguir, vamos ver algumas opções de sites confiáveis para comprar produtos nos EUA e revender no Brasil. São sites bastante conhecidos no e-commerce mundial, mas você deve investigar bem os vendedores parceiros das plataformas.

Caso você contrate um redirecionador ou com um intermediador de dropshipping, é provável que a empresa já trabalhe com fornecedores selecionados.

Confira agora as principais recomendações:

Amazon: a loja virtual de Jeff Bezos se tornou um dos maiores sites de e-commerce do mundo, com inúmeros vendedores dos Estados Unidos, inclusive de grandes marcas, como Apple, Lacoste, Tommy Hilfiger, entre outras.

Alibaba: é um dos gigantes do e-commerce da China, mas também trabalha com fornecedores parceiros dos Estados Unidos e outros países. Oferece uma ampla variedade de produtos com preços em conta.

eBay: é também um gigante do e-commerce dos Estados Unidos, agora com uma versão brasileira. Assim como em outros marketplaces, é importante verificar a avaliação do vendedor, especialmente quando se tratar de pessoa física.

SaleHoo: é uma intermediadora entre fornecedores e lojistas, com uma lista de vendedores selecionados e qualificados. A plataforma cobra uma assinatura, por isso pode ser válido para compras em maior volume e frequência.

Os principais produtos dos EUA que valem a pena revender no Brasil

Nos Estados Unidos, é possível encontrar produtos e marcas que não existem no Brasil, são vendidos por preços exorbitantes ou demoram a chegar por aqui. Pensando nisso, listamos algumas opções de produtos que tendem a ter bastante demanda entre compradores brasileiros. Confira quais são eles:

  • Eletrônicos: smartphones, smartwatches, laptops, câmeras e outros produtos de tecnologia que demoram a chegar ao Brasil costumam ser bastante procurados. Os iPhones e Macbooks da Apple e os relógios da Garmin e Invicta são bons exemplos;

  • Roupas: itens de vestuário, como blusas femininas, tênis, também são bastante requisitados. Marcas como Nike, Adidas, Lacoste, Aéropostale, Abrecrombie, Hollister, Columbia e The North Face são exemplos de marcas bastante procuradas;

  • Acessórios: acessórios masculinos e femininos também são produtos importados com bastante demanda. Carteiras da Tommy Hilfiger para homens e bolsas da Guess e Michael Kors são alguns exemplos;

  • Brinquedos: brinquedos para crianças e bonecos colecionáveis costumam ser bastante caros no Brasil, por isso também têm bastante demanda de itens importados. Funko Pop, bonecos da Marvel e brinquedos da Fisher Price estão entre os mais procurados.

Por fim, se você deseja expandir seus negócios com produtos exclusivos, importar dos EUA pode ser um bom caminho. Você só precisa saber as regras do Brasil para importação do exterior, que englobam limites, taxas e impostos que devem ser cumpridos para evitar problemas com a aduana brasileira e a Receita Federal.

Agora que você já sabe como importar dos EUA de forma legal e eficiente, é importante também profissionalizar as vendas no Brasil para ganhar a confiança dos seus clientes.

A Bagy vai ajudar você com uma plataforma de e-commerce simples de usar, que oferece a possibilidade de fazer dropshipping de fornecedores dos EUA.

Marina Correa

Graduanda em Letras pela UFMG, atua como Analista de Conteúdo na Bagy. Com uma experiência de mais de 2 anos no mercado digital, possui vasto conhecimento sobre empreendedorismo e vendas online. Hoje se dedica a trazer conteúdos de valor para lojistas que desejam aprender mais sobre o universo do e-commerce.

Tenha um site pronto para sua loja vender!