Vendas

O que é varejo? Veja como funciona e importância de investir nesta modalidade

Imagem ilustrativa do que é varejo

Veja o que você irá encontrar neste artigo

O varejo é um dos mais importantes setores da economia e o que mais se aproxima dos consumidores. Nesta modalidade de comércio, a venda de bens e serviços é feita diretamente ao consumidor final, mas isso é só o começo.

O varejo faz parte da vida de todos nós. É o setor que que melhor descreve a experiência de consumo moderna e o modelo de negócio mais popular do mundo. Há séculos, ele tem sido a ponte entre a indústria e o mercado consumidor e agora se diversifica nas mais diversas plataformas, sobretudo no e-commerce, estrelando no chamado varejo online.

Seja nas ruas, seja na internet, o fato é que as lojas são um ícone do mercado e jamais sairão de moda. Seu papel é fundamental para garantir demanda e acesso aos mais variados produtos e serviços, de itens de moda e decoração à soluções de tecnologia e saúde.

Mas, cá entre nós, você realmente sabe o que é varejo e como esse setor funciona? Sua definição parece simples, mas o seu funcionamento depende de uma série de fatores que, por vezes, passam despercebidos. 

Neste artigo, reunimos as principais características desse setor e também suas inúmeras possibilidades de atuação para vocẽ entender direitinho como tudo isso funciona. É só continuar a leitura para conferir!

O que é varejo e quais são as suas características?

Por definição, o varejo é o modelo de comércio baseado na venda de produtos e serviços ao consumidor final. O setor se situa no chamado B2C (Business to Consumer), embora outras modalidades de negócio também se encaixem nessa definição.

Como as transações se dão diretamente entre a empresa e o público, o varejo requer pontos de venda, seja em estabelecimentos físicos, seja em lojas virtuais ou marketplaces. Além disso, como a mercadoria é adquirida pelo seu usuário final, a maioria das compras são feitas em menor escala e o negócio tende a depender de um maior volume de vendas.

Outro ponto importante, é que a maioria dos varejistas atua com a revenda de produtos. Os itens são fabricados por empresas terceirizadas ou comprados no atacado em maior quantidade para serem comercializados individualmente, aplicando-se uma margem de lucro.

Existe a possibilidade de o lojista fabricar a sua própria mercadoria, o que tem feito muito sucesso nos últimos anos em nichos exclusivos, como o de bebidas e alimentos artesanais. Entretanto, a revenda a partir do atacado ainda é a modalidade mais comum e que geralmente oferece menores custos para entrar no mercado.

Quais as diferenças entre varejo e atacado?

Para entender exatamente o que é varejo e como o setor funciona, é importante conhecer também o atacado. O comércio atacadista trabalha com a compra, a venda e a distribuição de produtos em grandes quantidades.

A comercialização em maior volume reduz o valor das mercadorias, tornando-as viáveis para revenda. Isso acontece porque os custos por item na indústria tendem a cair em virtude do crescimento da produção, tendo em vista os gastos fixos envolvidos na operação.

Os atacadistas, porém, também podem atuar no mercado B2C, ou seja, comercializarem produtos para o consumidor final, tal como os varejistas. Essa modalidade de comércio é geralmente oferecida por grandes redes, mas os valores reduzidos só são possíveis também por meio da compra de produtos em maior volume.

Como funciona o mercado de varejo?

Como você pode perceber, o pleno funcionamento do varejo depende de uma cadeia de suprimentos que envolve indústrias, transportadoras, atacadistas e, claro, o consumidor final. Na internet, temos também as plataformas de e-commerce e a operação logística para entregas residenciais.

Resumidamente, temos então:

  • fornecedores primários: que produzem ou desenvolvem os insumos necessários para viabilizar a produção de mercadorias;
  • fabricantes: que contam com estrutura e mão de obra especializada para transformar a matéria-prima em bens de consumo;
  • atacadistas: que adquirem a mercadoria em enormes volumes por preços competitivos que viabilizam a sua comercialização em lotes;
  • varejistas: que adquirem as mercadorias em lotes grandes e médios para serem revendidos individualmente para o consumidor final;
  • plataformas digitais: na internet, há também as ferramentas de criação e gerenciamento de lojas virtuais e os marketplaces que conectam varejistas e consumidores;
  • logística B2C: que constitui toda a operação de transporte, estatal ou privada, responsável por levar os produtos dos centros de distribuição para o endereço dos clientes.

Todos esses fatores constituem uma verdadeira sinfonia de empresas que precisa estar muito bem afinada para garantir que as vitrines atendam a demanda das lojas. A rentabilidade de todo o processo ocorre em escala, dos grandes produtores que atuam em volume aos lojistas que comercializam produtos de maneira individual.

Por que vale a pena investir no varejo?

Como dito, o varejo é um dos grandes pilares da economia global e será sempre uma oportunidade de negócio. É claro que o sucesso depende de muito planejamento e ações de marketing bem trabalhadas, além das próprias circunstâncias do mercado e da sua região.

Entretanto, o setor nunca deixou e nem deixará de oferecer diversas possibilidades lucrativas. Entre as diversas vantagens de apostar no varejo, reunimos algumas que merecem a atenção de futuros empreendedores e empreendedoras. Veja.

Flexibilidade e facilidade de entrada

De todas as possibilidades de atuação na cadeia comercial citada no tópico anterior, o varejo é uma das mais acessíveis, pois seus custos de entrada são muito relativos e flexíveis.

Trabalhar com a produção de matéria-prima ou com a fabricação de produtos, por exemplo, requer altos investimentos em espaço, maquinário e pessoal, somente para dar início ao empreendimento. Já atuando como lojista, seus custos variam de acordo com o segmento escolhido e a categoria do negócio que pretende começar.

Há grandes companhias que abriram suas portas com financiamentos milionários. Em contrapartida, é também possível começar um negócio com custos mínimos, escolhendo mercadorias acessíveis e comercializando os produtos na internet.

Diferentes modos de atuação

A flexibilidade do varejo também se estende às suas diversas modalidades de atuação. A revenda de produtos de atacado é o modelo de negócio mais comum e geralmente mais acessível para quem deseja entrar no mercado, mas existem outras formas de atuar.

Em alguns casos, por exemplo, é possível comprar itens diretamente com fabricantes, dispensando-se atacadistas. Essa é uma forma de conseguir vender os produtos a preços mais atrativos, mas que nem sempre é viável.

Além dessas opções, há também a possibilidade de você produzir os seus próprios produtos. Isso exigirá um investimento inicial maior, caso não disponha dos recursos necessários, mas é uma forma de ter pleno controle da operação, sem depender de outras empresas.

Relacionamento mais próximo com os clientes

Uma das grandes vantagens do varejo ― que também pode ser entendida como um desafio ― é o contato direto com o cliente. Além de oferecer produtos, o lojista precisa investir em um bom relacionamento e caprichar na experiência de compra.

Até mesmo nas lojas online, é preciso pensar em formas de tornar o processo de compra mais simples e agradável para os usuários. Sites rápidos e fáceis de acessar, integrados a redes sociais, e que funcionam bem em dispositivos móveis são fundamentais.

Entre vários benefícios que esses cuidados podem agregar, o maior deles é a fidelização. Como alerta o economista americano Philip Kotler em sua obra Administração de Marketing, um cliente novo custa entre 5 a 7 vezes mais caro que manter um atual.

Enorme variedade de segmentos e nichos

Quem pretende atuar no varejo tem diante de si um verdadeiro universo de possibilidades de segmentos e nichos para explorar. E o lojista também pode optar por ser um comerciante generalista (que vende diversos tipos de produtos) ou atuar em segmentos extremamente específicos, apostando na exclusividade.

Há espaço para diversos tipos de negócios, e a internet tornou essa variedade de oportunidades ainda mais notável. Os marketplaces oferecem produtos de inúmeras categorias e redes sociais, como o Instagram, tornaram a descoberta e a compra extremamente fluidas e alinhadas ao comportamento do consumidor moderno.

Naturalmente, cada área e modelo de atuação traz responsabilidades, custos e oportunidades diferentes, e é, por isso, que você deve escolher com cautela, caso já não tenha um destino definido. Estudar o mercado, conhecer o perfil do público que pretende atingir e realizar testes é sempre recomendável.

Agora você sabe o que é varejo, como ele funciona e as diversas possibilidades que oferece. Vale destacar ainda que esse setor vive do consumo, ou seja, ele não tolera escassez de vendas e quanto mais pessoas compram, mais os lojistas são beneficiados. O maior desafio de quem atua na área, no entanto, é a concorrência. Para se destacar no mercado, você precisa inovar e tentar fazer a diferença para o seu público.

Este post fica por aqui, mas que tal continuar essa conversa em outro artigo? Continue no blog e saiba mais sobre varejo criativo, com tendências e dicas para sua loja fazer sucesso!

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Receba uma análise para impulsionar sua loja!

Preencha no nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas para melhorar suas vendas!

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.