Empreendedorismo

Franquia ou negócio próprio? Saiba o que considerar!

Imagem ilustrativa para franquia ou negócio próprio.

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Escolher entre o modelo de franquia e negócio próprio parece, a princípio, um bicho de sete cabeças, mas não precisa ser assim. Além de avaliar os prós e os contras de cada opção, é preciso levar outros aspectos em consideração para fazer essa escolha.

Você tem o desejo de empreender, mas ainda não sabe se é melhor investir em uma franquia ou negócio próprio? Essa é uma dúvida comum entre muitos brasileiros que têm o mesmo sonho.

Ter um negócio próprio oferece liberdade e permite que você tome todas as decisões, além da possibilidade de criar algo do zero. Já uma franquia proporciona acesso a um modelo de negócios que já foi testado e validado, mas oferece menos autonomia.

Neste artigo, mostraremos diversos pontos que você deve levar em consideração para fazer essa escolha tão importante para o seu futuro como empreendedor. Acompanhe!

Como escolher entre franquia e negócio próprio

Escolher entre o modelo de franquia e negócio próprio parece, a princípio, um bicho de sete cabeças, mas não precisa ser assim. A seguir, separamos alguns pontos para guiar você nesse processo.

Compare os pontos positivos e negativos de cada modelo

Se o seu sonho é abrir uma empresa, mas ainda não sabe qual é o melhor modelo de empreendimento, o primeiro passo é fazer uma boa análise. Comece a analisar, entre as vantagens de um negócio próprio e de uma franquia, quais são as que são mais importantes para você.

Depois de fazer uma comparação de todos os benefícios das duas opções, é importante avaliar o que mais desagrada você entre os pontos negativos de cada modelo. Para isso, faça uma análise sobre os aspectos que mais lhe preocupam e se algum deles inviabiliza, de fato, a sua ideia de empreendimento.

Tente encaixar a sua atividade em um dos modelos

Existem franquias em praticamente todas as atividades, mas isso por si só não significa que o empreendimento dos seus sonhos encontra o modelo ideal de trabalho em uma delas. Da mesma maneira, o que você planeja como um negócio próprio talvez se encaixe melhor em um modelo de franquia — com mais chances de sucesso, inclusive.

Sendo assim, o que você precisa avaliar é qual dos modelos atende melhor à sua ideia de empreendimento. Se você deseja, por exemplo, iniciar no ramo de fast food, começar amparado em uma marca que é famosa mundialmente pode fazer toda a diferença.

Por outro lado, se você tem uma proposta realmente inovadora e deseja colocá-la em prática, talvez a melhor opção seja começar o projeto do zero. Por conta de todas essas variáveis, é preciso fazer uma avaliação bastante precisa e rigorosa sobre o formato que melhor lhe atende.

Cheque o seu orçamento

Em um cenário em que o dinheiro não tem uma posição importante para a decisão do melhor modelo de empreendimento, talvez o negócio próprio tivesse muito mais chances de ser escolhido. Mas, geralmente não é isso que acontece.

A não ser que você tenha uma ótima ideia que exija um investimento inicial baixo, abrir uma franquia é quase sempre mais econômico. Tudo depende da marca escolhida, claro, mas muitas delas contam com um aporte abaixo dos R$ 10 mil para a abertura.

Caso opte pelo investimento no negócio próprio, você pode contar com opções de empréstimos e até financiamento para a sua ideia. Isso pode ser levado em consideração para facilitar a sua escolha.

Vantagens e desvantagens de uma franquia

Analisar os prós e os contras ao abrir um negócio é sempre um passo importante para qualquer empreendedor, mesmo que o modelo escolhido seja o de franquia. A seguir, vamos analisar as vantagens e desvantagens desse formato.

Vantagens

O formato de franquia oferece diversas vantagens para quem deseja começar a empreender. Confira algumas delas!

Menor investimento em divulgação

Todas as marcas que hoje são grandes já fizeram todo o trabalho de propaganda. Isso significa que se você optar por uma franquia, não precisará se preocupar em criar estratégias de divulgação e de marketing que sejam muito complexas.

Sendo assim, será necessário somente que o público saiba onde é a localização da franquia — já que essas pessoas já conhecem o produto oferecido pela marca. O principal esforço será, nesse caso, no período de inauguração da loja.

Marca conhecida

Outra grande vantagem de abrir uma franquia é que a empresa em questão já é conhecida pelo público. Como dissemos anteriormente, essas marcas já investiram pesado em propaganda e divulgação. Então, quando você inicia o seu negócio representando esse nome, já tem esse ponto a seu favor.

As pessoas também tendem a escolher as marcas que já são conhecidas, principalmente por saberem da qualidade dos produtos e do bom atendimento prestado. Por esse motivo, essa também pode ser uma garantia de começar o seu negócio já com alguns clientes fiéis.

Fornecedores confiáveis

A escolha de bons fornecedores é uma das questões mais importantes para os novos empreendedores. Isso porque esse fator pode determinar se um negócio que está iniciando do zero vai dar certo — ou não.

Os fornecedores são os maiores responsáveis pela qualidade do produto e, consequentemente, pela satisfação dos clientes. A boa notícia é que você não precisará ter essa preocupação ao optar pelo modelo de franquia, já que as marcas contam com seus próprios produtores que oferecem materiais de qualidade a preços competitivos.

Rápido retorno do investimento

O ROI (Retorno Sobre Investimento) de uma franquia leva, em média, de 24 a 36 meses. Esse prazo é considerado rápido se comparado com outros modelos de negócio — e geralmente é um dos fatores decisivos para quem deseja escolher entre uma franquia ou marca própria.

No site Sua Franquia é possível verificar o investimento mínimo e o máximo de acordo com a empresa escolhida. Lá, você também consegue verificar a previsão de retorno do investimento.

A Chilli Beans, por exemplo, tem um investimento mínimo de R$ 120 mil e retorno esperado de 12 a 24 meses. Já a Cacau Show tem um investimento mínimo de R$ 64.900 e previsão de retorno entre 18 e 24 meses.

Desvantagens

Como acontece com toda ideia de negócio, a escolha por uma franquia em vez de um negócio próprio também pode apresentar algumas desvantagens. Confira algumas delas a seguir.

Pouca autonomia

Uma das desvantagens de uma franquia é a pouca autonomia que o empreendedor terá. Isso porque não é possível realizar nenhum tipo de alteração na loja, no modelo de gestão, nos produtos, embalagens e assim por diante. Tudo deve seguir o padrão estabelecido pela marca franqueadora.

Todo esse protocolo garantirá que a empresa seja representada de maneira uniforme, mas isso também limita o potencial de inovação do negócio. Mesmo que você tenha uma ideia que possa dar lucro para a marca, não poderá fazer a implementação sem uma autorização prévia.

Alto investimento

Ao contrário do que muitos pensam, as franquias também precisam de um investimento inicial. O que muitas pessoas não sabem é que esse valor, muitas vezes, pode ser alto.

Esse investimento, aliás, é indispensável, já que no Brasil toda e qualquer franquia precisa estar de acordo com a Lei 13.966. Isso significa que não basta somente abrir uma empresa e replicar toda a estratégia da marca franqueadora, é preciso seguir exatamente o modelo de negócios da empresa e cumprir diversos requisitos.

Pagamento de taxas

Além do investimento inicial — que pode ser alto, como dissemos anteriormente —, para ter uma franquia também é preciso pagar algumas taxas à empresa franqueadora. Esse é um gasto extremamente importante que precisa ser levado em conta no momento de escolha desse modelo, já que corresponde a uma parte do faturamento do negócio como um todo.

O valor final dessas taxas pode variar de acordo com a marca escolhida. Geralmente elas giram entre 2% a 5% do faturamento bruto da unidade, mas o recomendado é que você cheque antes de investir para não ter surpresas no futuro.

Vantagens e desvantagens de um negócio próprio

O modelo de negócio próprio também tem seus prós e contras e é isso que avaliaremos a seguir.

Vantagens

Para facilitar a decisão entre franquia ou negócio próprio, você precisa conhecer as vantagens do segundo modelo também. Confira algumas delas a seguir.

Maior autonomia

Você se considera uma pessoa criativa que deseja liberdade e mais autonomia para empreender? Então a escolha fica ainda mais fácil. Ter a sua própria marca, nesse caso, é a melhor opção — já que assim será possível dar lugar a diversas ideias inovadoras.

Com um negócio próprio, você não precisará seguir regras preestabelecidas por ninguém. Isso significa que você poderá montar a sua loja desde o início e ter poder de decisão sobre tudo, incluindo o público-alvo, a identidade visual, os melhores fornecedores e assim por diante.

Investimento mais baixo

Para abrir o seu próprio negócio, não é necessário ter um valor alto para o investimento. Se você pensa em ter um e-commerce, pode criar uma loja gratuitamente e começar aos poucos criando os seus próprios produtos quando surgir demanda ou encomendando aos poucos e comprando mais apenas quando o estoque já for vendido.

Outra possibilidade é vender sem estoque com o modelo de dropshipping. Você ficará responsável apenas por administrar e divulgar a loja. Quem deve armazenar e enviar os itens é o próprio fornecedor. Esse modelo de logística vem crescendo muito nos últimos anos e exige um investimento ainda menor para começar.

Sem taxas

Como não será preciso pagar nenhuma taxa para um franqueador, o lucro de um negócio próprio será todo seu. Isso significa que esse valor fica disponível para você fazer o que desejar, seja investir em novos produtos, na expansão da loja, em treinamento para a equipe ou para qualquer outra coisa.

Desvantagens

Antes de tomar a decisão que vai ditar o seu modelo de negócio, é preciso apresentar a você alguns motivos que podem tornar essa segunda opção menos atrativa. Confira a seguir.

Maior investimento em divulgação

Como a empresa será nova, uma das desvantagens é a necessidade do investimento em divulgação em propagandas que será maior do que seria para uma franquia. Você terá a missão de fazer com que as pessoas conheçam essa marca e ainda despertar nelas o desejo da compra.

Necessário ter experiência com gestão

Para abrir um negócio próprio é necessário ter muita dedicação, mas isso você já sabe. Para que essa empreitada tenha sucesso, porém, é preciso que você saiba gerenciar uma empresa e saiba lidar com setores como marketing, tecnologia, contabilidade, estoque e logística.

Tudo isso pode até parecer um grande desafio, principalmente para quem está começando, mas não precisa ser assim — e muito menos um impedimento para você abrir o seu negócio. Existe muito conteúdo bom e gratuito sobre esses tópicos na internet que você pode consumir antes de formalizar a sua empresa que vão ajudar nesse processo.

Alto risco

Um negócio novo sempre envolve um risco maior do que começar com uma marca que já é conhecida. Isso acontece porque surgirão desafios diversos, como precisar enfrentar grandes concorrentes. Por esse motivo, antes de abrir uma empresa é imprescindível realizar uma análise de mercado bem detalhada.

Também será necessário pensar em estratégias para se destacar da concorrência. Entre elas, está a definição de um plano de negócios sólido para não passar pela dificuldade de atrair clientes, além das que geram vendas, as voltadas para gerenciamento de gastos, controle de estoque etc.

Como transformar seu negócio em uma franquia

Se você já tem um negócio próprio de sucesso e quer expandir a marca e aumentar a lucratividade, uma possibilidade é fazer dessa empresa uma franquia. Para começar a fazer isso, basta seguir o passo a passo listado abaixo.

Projete os modelos de negócios

Para franquear o seu negócio, o primeiro passo é elaborar o modelo de negócios — tanto da franquia em si quanto do franqueado. Dessa maneira, a sua empresa terá uma ferramenta prática para guiar a estratégia de expansão. Para o franqueado, o modelo trará uma visão geral da oportunidade de investimento.

Esse documento precisará apontar elementos como a estrutura de receitas e de custos, público-alvo, diferenciais do produto ou serviço, parcerias etc. Além disso, essa ferramenta também poderá ajudar a entender os pontos fortes do negócio, assim como os que precisam de melhoria.

Formalize a transmissão do conhecimento

Ao transformar a sua marca em uma franquia, será preciso assegurar a transmissão dos conhecimentos necessários para os franqueados. Uma maneira de assegurar a padronização de todos os processos é criar manuais de gestão, implantação e operação da franquia.

Como um franqueador, você também precisará ministrar treinamentos para a equipe do franqueado para garantir o domínio de todos os procedimentos e técnicas. Outro ponto importante é oferecer suporte para que os franqueados possam tirar dúvidas e solucionar problemas relacionados à operação do negócio.

Providencie a documentação

A documentação jurídica estabelece tanto os direitos quanto os deveres de cada parte na relação do franqueamento de uma marca. Tanto você quanto os franqueados deverão obedecer às determinações da já citada Lei 13.996.

Essa Lei determina, por exemplo, que o franqueador deve fornecer ao franqueado a COF (Circular de Oferta de Franquia). Esse documento — que entre outros pontos deve incluir o histórico resumido do negócio franqueado, valores e descrição detalhada da empresa —, deve ser escrito em Língua Portuguesa com linguagem objetiva e acessível.

Estruture a empresa como franqueadora

Transformar uma empresa em franquia, independentemente do nicho escolhido, requer mudanças na sua gestão e nos registros legais. Sendo assim, será necessário adequar o contrato social do CNPJ existente à nova atividade ou, se preferir, abrir uma nova empresa para as atividades da franquia.

Crie um plano de expansão inicial

Um plano de expansão inicial, um dos últimos passos para transformar seu negócio próprio em franquia, deve estabelecer todas as diretrizes para a criação das primeiras franquias da rede. O mais comum, nesses casos, é optar pela abertura em locais próximos à unidade matriz.

Isso acontece porque a estratégia permite lidar com um mercado já conhecido e utilizar ações de marketing mais específicas. Sem contar que, estrategicamente falando, a presença de mais de uma unidade da marca na mesma região garante uma maior visibilidade local para a empresa.

Perguntas frequentes sobre franquia ou negócio próprio

Ainda tem dúvidas sobre escolher entre franquia ou negócio próprio? Confira a seguir as respostas para as perguntas feitas com mais frequência sobre esse assunto.

Qual a diferença entre loja própria e franquia?

De uma maneira bem direta, em uma loja própria o empreendedor tem autonomia total, assume todos os riscos e é o responsável por tomar todas as decisões. Já em um modelo de franquia, o franqueador (uma empresa consolidada) concede a outra pessoa (o franqueado) o direito de usar a sua marca em troca de uma comissão.

A franquia oferece um modelo de negócios já testado e estabelecido, além de todo o suporte do franqueador. Isso, porém, implica em seguir todos os padrões já definidos pela marca.

É vantajoso ter uma franquia?

Sim, esse modelo de negócio pode ser um investimento bastante vantajoso. Além de contar com toda a expertise de uma marca já consolidada, de acordo com um levantamento feito pela Associação Brasileira de Franchising, o mercado de franquias teve um crescimento de 11,4% somente no 3º trimestre de 2023, o que prova que o setor é bastante promissor.

É vantajoso ter um negócio próprio?

Sim, ter um negócio próprio é vantajoso. Isso porque permite organizar as tarefas e a execução delas de acordo com a sua disponibilidade, ritmo de trabalho e preferências. Trabalhar por conta própria também oferece mais liberdade criativa, mas todas as estratégias para crescimento e divulgação do negócio ficam sendo sua responsabilidade.

Como você pôde perceber, escolher entre franquia ou negócio próprio não é tão difícil quanto parece, mas existem diversos pontos que precisam ser levados em conta para chegar na melhor decisão. Leve em conta todos os prós e os contras de ambos os modelos e pense no que mais se encaixa na sua visão como empreendedor antes de fazer a escolha!

Independentemente da sua escolha, o importante é contar com bons parceiros na sua caminhada empreendedora, como a Bagy. Com ela, é rápido e fácil montar sua loja online para começar a vender — e lucrar.

Marina Correa

Graduanda em Letras pela UFMG, atua como Analista de Conteúdo na Bagy. Com uma experiência de mais de 2 anos no mercado digital, possui vasto conhecimento sobre empreendedorismo e vendas online. Hoje se dedica a trazer conteúdos de valor para lojistas que desejam aprender mais sobre o universo do e-commerce.

Tenha um site pronto para sua loja vender!