Vendas

Dropshipping: ainda vale a pena em 2024? [GUIA COMPLETO]

Descubra tudo sobre o dropshipping

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Dropshipping é um modelo de negócio em que a empresa que realiza a venda de produtos atua apenas como intermediária entre fornecedor e consumidor, eliminando a necessidade de estoque. A loja atua como uma revendedor, intermediando a operação de venda, e terceiriza o processo de armazenamento e distribuição dos produtos com fornecedores.

Dropshipping é uma das modalidades de e-commerce mais atraentes para os novos lojistas. Você pode começar com baixo investimento, não precisa investir em gestão de estoque e logística e pode ter um bom retorno se dedicando apenas à divulgação dos produtos.

Se você pesquisar no Google, vai encontrar diversos conteúdos com promessas de ganho rápido com dropshipping. É por isso que esse conceito ganhou holofotes nos últimos anos. Porém, apesar de ser uma boa oportunidade para algumas pessoas, o dropshipping tem algumas desvantagens que precisam ser consideradas.

Por isso, é importante saber avaliar se vale a pena trabalhar com dropshipping. Neste artigo, vamos explicar a você esse conceito e quais são suas vantagens e desvantagens, para saber se é uma boa oportunidade ou se é melhor procurar alternativas no e-commerce. Acompanhe agora para saber tudo!

O que é o dropshipping?

Dropshipping é uma modalidade de comércio eletrônico em que o lojista atua como intermediário entre os fornecedores que selecionar para a sua loja online e os clientes que atrair com o marketing.

A função do vendedor é fazer a divulgação da loja e o relacionamento com os clientes. Mas ele não se envolve com armazenamento e gestão de estoque e o transporte de mercadorias. O lojista sequer tem contato com o produto, que vai diretamente dos fornecedores parceiros, geralmente fábricas ou distribuidores, até o endereço do comprador.

Para o cliente, o fornecedor é invisível. Na sua perspectiva, só existe a loja virtual em que fez a compra. Então, a percepção sobre a experiência de compra, positiva ou negativa, recai sobre o vendedor, mesmo que algum problema tenha sido causado pelo fornecedor.

Devido ao seu modelo de funcionamento, o dropshipping se tornou uma das modalidades de e-commerce mais tentadoras para novos lojistas, que não precisam investir em infraestrutura para o estoque nem em logística para o envio de produtos. Mas, apesar das promessas de facilidade, essa modalidade apresenta algumas desvantagens que devem ser consideradas.

Como fazer dropshipping?

O dropshipping tem um modelo de funcionamento simples. Você precisa:

  • Ter uma loja virtual, com a estrutura de uma plataforma de e-commerce;
  • Criar estratégias de marketing para divulgar a loja e atrair clientes;
  • Prestar o atendimento ao cliente — antes, durante e depois da venda;
  • Fazer a intermediação com o fornecedor para efetivar a venda ao cliente;
  • Definir a precificação dos produtos para ter uma boa margem de lucro.

Todo o resto é papel do fornecedor, que executa a gestão do estoque e a logística de entrega ao cliente. O que é complexo, portanto, é encontrar bons parceiros e alinhar toda a operação, a fim de prestar um bom serviço ao consumidor.

Como funciona o dropshipping?

O dropshipping funciona da seguinte maneira: Tudo começa com o pedido do cliente na loja virtual. Nesse momento, o cliente paga pelo produto, conforme o preço que você definir. Todo o procedimento de pagamento é feito dentro da loja. Lembre-se de que o comprador só vê a loja — toda a operação com o fornecedor, por trás da compra, não é visível para ele.

Depois de receber o pedido e aprovar o pagamento, o lojista encaminha o pedido ao fornecedor e faz o pagamento do produto no preço de atacado (ou em melhores condições, dependendo da negociação). Dessa forma, o vendedor fica com a diferença de valor, que representa o seu lucro na transação.

Então, o fornecedor aciona a logística de separação do pedido no estoque e envio dos produtos ao cliente, por meio de transportadoras. Geralmente os produtos levam a marca da loja virtual, mas isso pode depender da negociação entre lojista e fornecedor. Enfim, o produto chega ao endereço do cliente, e o processo é finalizado.

O que pode acontecer ainda é o cliente querer devolver ou trocar o produto. No Brasil, toda compra virtual pode ser devolvida em até 7 dias após a entrega.

Por isso, é preciso prever a logística de devolução do produto, que é responsabilidade do fornecedor, mas envolve também o lojista. Afinal, a loja virtual deve prestar atendimento ao consumidor, solicitar a devolução ou troca do produto ao fornecedor, bem como o reembolso, tanto do pedido do cliente quanto da sua compra.

A seguir, vamos explicar como essa modalidade funciona. A imagem abaixo ajuda a entender:

Representação do modelo dropshipping
Fonte: Oberlo

Vale a pena trabalhar com dropshipping?

A resposta é sim, vale a pena trabalhar com dropshipping.

O dropshipping pode ser uma boa opção para quem tem experiência com negociação e gestão de fornecedores. Se você consegue alinhar as operações entre a loja, a fábrica e a transportadora, pode ter bons resultados, apesar da falta de controle operacional.

Vamos ver agora quais são as vantagens dessa modalidade quando você consegue gerenciar bem o seu negócio:

Gestão de estoque terceirizada

Uma das grandes vantagens do dropshipping é a terceirização da gestão de estoque. Essa é uma das áreas que mais gera custos para os lojistas.

Nessa modalidade, você não precisa adquirir ou alugar um local para armazenar mercadorias, controlar prazos de validade e obsolescência, nem se preocupar em manter níveis adequados de estoque. É preciso ter uma quantidade de itens adequada à demanda, que consiga atender aos pedidos dos clientes, sem deixar produtos parados.

No dropshipping, essa preocupação e os custos envolvidos estão nas mãos dos fornecedores. Mas é importante saber se os seus parceiros fazem uma boa gestão de estoque. Afinal, qualquer problema impacta na experiência do cliente e afeta a imagem da sua loja.

Logística terceirizada

Uma das áreas mais sensíveis do e-commerce é a logística. Você precisa ter uma operação eficiente para entregar o produto com a maior agilidade possível, sem falhas nem defeitos.

No dropshipping, a logística é uma responsabilidade dos fornecedores. Você não precisa se preocupar em negociar com transportadoras, separar e preparar pedidos, nem despachar as mercadorias. A logística de devolução dos pedidos, outro ponto importante do comércio eletrônico, também é papel da fábrica.

Mas também é importante atestar a qualidade da logística na hora de escolher seus parceiros. Verifique se eles fazem uma boa gestão e trabalham com transportadoras confiáveis.

Baixo investimento inicial

Como não é necessário investir no armazenamento de estoque, o investimento inicial para trabalhar com dropshipping costuma ser baixo. Além disso, da mesma forma que uma loja virtual, também não é preciso adquirir ou alugar um espaço físico para atender clientes e fazer as vendas.

É principalmente por esse motivo que essa modalidade de e-commerce tem atraído tantos adeptos, já que reduz as barreiras de entrada nesse mercado.

Economia operacional

A terceirização do estoque e da logística também traz economia operacional. Por não se envolver nessas áreas, o lojista economiza em softwares, máquinas, materiais e equipe, além de custos que imprevistos geram, como a falha de equipamentos.

De qualquer forma, existem custos que devem ser considerados. A plataforma de vendas, o domínio e hospedagem da loja e os investimentos em marketing, por exemplo, geram custos mensais.

Flexibilidade do mix de produtos

Por fim, lojistas que trabalham com dropshipping podem ter maior flexibilidade na composição do mix de produtos. Afinal, eles não precisam se preocupar em otimizar o estoque e podem fazer parcerias com fornecedores de diferentes marcas e especialidades.

Dessa forma, podem atender todo tipo de cliente. Por outro lado, podem ter dificuldades em se diferenciar e estabelecer uma identidade de marca, que gera identificação com o público.

Quais são as desvantagens do dropshipping?

Dropshipping pode ser uma boa oportunidade de ganhar dinheiro com vendas pela internet. Mas essa modalidade também pode trazer alguns obstáculos.

Embora o dropshipping seja prometido como boa solução para lojistas novatos na internet, quem não tem experiência com e-commerce pode sentir ainda mais dificuldades, já que requer um alinhamento complexo com fornecedores.

Vamos ver agora quais são as principais desvantagens que esse modelo apresenta:

Falta de controle operacional

A dificuldade mais evidente do dropshipping é a falta de controle operacional do lojista. Embora esteja livre da responsabilidade de operar o estoque e a logística, essas atividades são essenciais para o bom atendimento ao cliente. O problema é que elas estão nas mãos do fornecedor, enquanto o lojista pouco pode fazer para otimizar esse processo.

É importante ressaltar que o atendimento ao cliente tende a ser um diferencial no e-commerce, já que se trata de um ambiente competitivo, com muitos concorrentes parecidos. Veja, por exemplo, como a Amazon se destaca com a agilidade das suas entregas.

Então, se você não tem controle sobre essas operações, não consegue garantir a qualidade do atendimento nem se diferenciar no mercado.

Falta de controle de qualidade do produto

Outro problema do dropshipping é que o lojista também não tem controle sobre a qualidade do produto. O vendedor não entra em contato com o produto em nenhum momento.

Por isso, não pode atestar se os itens estão dentro da validade ou têm defeitos, por exemplo. Essa conferência é responsabilidade do fornecedor, mas você não consegue garantir que esse processo esteja sendo executado da melhor maneira.

O consumidor digital é exigente. Além de receber o produto com agilidade, ele quer que os produtos cheguem impecáveis, sem qualquer problema que gere incômodo e perda de tempo. Por isso, a falta de controle de qualidade do produto pode ser um problema.

Risco de ruptura de estoque

Mais um problema da falta de controle pelo lojista é o risco de ruptura de estoque. Isso acontece quando o cliente faz uma compra na loja e efetua o pagamento, mas o produto que ele solicitou está em falta no fornecedor.

Essa experiência de compra é extremamente negativa para o consumidor digital, que, como dissemos, é cada vez mais exigente. Esse comprador pode ficar desconfiado com a loja e nunca mais voltar a comprar — e, assim, você vai perdendo clientes para os concorrentes…

Produtos comoditizados

Os produtos vendidos em lojas de dropshipping tendem a ser comoditizados. Muitos lojistas que trabalham com essa modalidade compram produtos de gigantes como AliExpress, Wish e outras empresas que praticam preços baixos.

Isso significa que eles não têm diferenciação — o cliente pode encontrar o mesmo produto, com preços semelhantes, em várias outras lojas virtuais. Além disso, os produtos têm marcas que não se destacam, que não têm personalidade, que não têm um branding forte. Dessa maneira, não conseguem criar conexões com os consumidores nem conquistar sua fidelidade.

Baixa margem de lucro

Produtos vendidos em dropshipping dificilmente conseguem alcançar boas margens de lucro. Isso acontece, mais uma vez, porque os produtos são commodities. Então, o lojista precisa definir preços competitivos para atrair os consumidores, já que não consegue despertar seu interesse com diferenciais de marca.

Além disso, os fornecedores tendem a negociar melhores preços com vendedores de grande porte, que podem comprar em maior quantidade no atacado. Pequenos e médios lojistas geralmente pagam mais caro, mas precisam praticar os mesmos preços (ou até mais barato) que os grandes.

Considere ainda que a diferença que sobra entre o valor de compra e de venda precisa cobrir os custos operacionais, como os investimentos em marketing. Isso reduz ainda mais a margem de lucro.

Dificuldades no longo prazo

De acordo com o eCommerce Trends Report, o número de empresas de dropshipping havia caído pela metade em 2019, em relação ano anterior. Essa queda é muito significativa, e evidencia como a manutenção de um negócio nessa modalidade pode ser desafiadora.

Tendências do dropshipping

O próprio estudo aponta que os motivos para isso podem ser as dificuldades do modelo de negócio do dropshipping e a recompensa de ter um produto e marca próprios em um mercado dominado por gigantes como a Amazon.

Podemos entender, então, que começar um negócio com dropshipping pode ser fácil. Mas não é um modelo sustentável: para crescer e escalar seu negócio, você vai precisar criar produtos próprios e se diferenciar. Se não, mais cedo ou mais tarde, a empresa vai estagnar.

Falta de um propósito

Por fim, outra desvantagem do dropshipping é a falta de um propósito para a sua marca. Você é “apenas” um revendedor de produtos de terceiros — você não tem uma marca forte, com valores e personalidade que inspiram as pessoas.

Simon Sinek já explicou a importância do “porquê” para criar marcas inspiradoras. Essas marcas não precisam batalhar por preço no mercado, porque as pessoas pagam pelo significado que seus produtos carregam. No dropshipping, você não tem isso.

O dropshipping é uma boa opção para você que está pretendendo vender online. É importante entender que a modalidade se tornou uma tendência porque não exige altos investimentos iniciais e promete economia de custos. Por isso, muitos lojistas resolveram apostar nesse tipo de negócio.

Apesar de não exigir armazenamento e logística, traz outros obstáculos que podem ser resolvidos se você tiver uma loja virtual com bom desempenho. Então, o mais importante é organizar a gestão do seu negócio para otimizar as operações e maximizar os lucros.

Encontrar um bom parceiro para a gestão do seu negócio facilita bastante esse trabalho. Conheça a Bagy, plataforma de e-commerce que vai te ajudar a vender com dropshipping. Não perca a oportunidade!

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Tenha um site pronto para sua loja vender!