Empreendedorismo

Conheça o passo a passo gratuito para abrir uma empresa online

Imagem ilustrativa depessoa abrindo empresa online.

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Abrir uma empresa online traz diversas vantagens para os empreendedores. Você pode formalizar o negócio de maneira simples, pela internet, com menos custos e burocracias, além de vender para mais pessoas e encontrar o seu público com o marketing digital.

O empreendedorismo digital vem atraindo muitos interessados. Cada vez mais pessoas querem abrir uma empresa online, que tem muito mais facilidades do que ter um negócio físico. Mas isso não quer dizer que você não tenha que seguir alguns passos importantes.

Hoje já é possível abrir uma empresa totalmente pela internet, sem precisar se deslocar até a Junta Comercial ou entregar documentos em algum órgão público. Em muitas cidades do Brasil, os procedimentos são 100% digitais. Bastam alguns cadastros para você ter o CNPJ da sua empresa em mãos e já poder vender pela internet.

Neste artigo, vamos ver os principais passos para você saber como abrir uma empresa online grátis, com todo o processo digitalizado. Se você quer abrir uma loja virtual, o processo é o mesmo! Acompanhe agora para saber tudo.

Como abrir uma empresa online: conheça o passo a passo

Para abrir uma empresa online, você precisa começar com os documentos e registos que oficializam o seu negócio. Com esse processo, sua empresa passa a existir para o governo, o que traz também algumas obrigações, como o pagamento de impostos.

Depois disso, ainda tem muito trabalho para planejar o seu negócio, encontrar os clientes e começar a vender. Mas, por enquanto, vamos focar no passo a passo inicial, para você saber como registrar o seu negócio pela internet. Conheça agora o processo:

1. Separe sua documentação

Para começar o processo e evitar contratempos, é bom já ir separando a documentação necessária. Os documentos solicitados podem variar, mas, em geral, você deve apresentar:

  • RG e CPF do dono ou dos sócios da empresa;
  • Comprovante de endereço da empresa (dependendo da atividade, pode ser a sua casa);
  • Número de declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) do dono ou dos sócios da empresa.

Se você pretende se cadastrar como MEI, o processo é super simples, e você não precisa de mais documentos do que esses. Todo o processo é feito pelo Portal do Empreendedor, na opção Quero ser MEI. Tire todas as suas dúvidas no portal e, quando estiver pronto, clique em “Formalize-se!”.

Mas, se você pretende abrir outro tipo de empresa (Empresário, EIRELI, Sociedade Limitada etc.), a Receita Federal pode solicitar outros documentos, que vamos conhecer mais adiante.

2. Defina a natureza jurídica da empresa

Para seguir os próximos passos, existe uma definição importante: a natureza jurídica do seu negócio, que é o tipo de empresa que você deseja abrir.

No Brasil, a facilidade de iniciar um negócio como Microempreendedor Individual tem feito muitos empreendedores optarem por esse formato de empresa. No entanto, o MEI tem algumas restrições, que não servem para todo tipo de negócio.

Assim, as empresas que têm mais sócios, maior faturamento, quer contratar mais empregados ou exercem algumas atividades específicas devem optar por outro tipo de natureza jurídica. Estes são os principais formatos utilizados e seus respectivos limites de faturamento:

  • Microempreendedor Individual (MEI): faturamento anual de até R$ 81 mil;
  • Empresa Individual: faturamento anual superior a R$ 60 mil;
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI): faturamento até R$ 360 mil (microempresa) ou até R$ 3,6 milhões (empresa de pequeno porte);
  • Sociedade Limitada (Ltda.): faturamento depende do porte da empresa;
  • Microempresa (ME): faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões.

3. Defina a atividade principal do seu negócio

Para o registro na Junta Comercial e abertura do CNPJ, você também já deve ter definido a atividade principal da empresa.

Todas as atividades empresariais estão catalogadas na Classificação Nacional das Atividades Econômicas (CNAE). No site do IBGE (cnae.ibge.gov.br), você pode consultar essa listagem e definir o CNAE mais adequado para o seu negócio.

Se você quer abrir uma loja virtual, saiba que não há um CNAE específico para e-commerce. Tudo vai depender do tipo de produto que você vende. Se é vestuário, por exemplo, o código do CNAE deve ser 4781-4/00.

4. Escolha o regime tributário

Mais uma definição importante antes de partir para os registros na Junta Comercial e no CNPJ é a escolha do regime tributário. Atualmente existem três opções, que você deve escolher considerando as atividades e o faturamento do negócio:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Real;
  • Lucro Presumido.

O enquadramento jurídico vai definir o cálculo dos impostos que a sua empresa deve pagar. Por isso, é uma definição importantíssima na gestão financeira do seu negócio.

Empresas que se enquadram no MEI estão dentro do regime do Simples Nacional, mas dentro de uma categoria específica: o SIMEI, que é sistema de recolhimento de valores fixos mensais que os MEIs pagam. Ao fazer o cadastro no Portal do Empreendedor, o MEI já se enquadra automaticamente nesse regime.

5. Registre a empresa na Junta Comercial

A Junta Comercial é um órgão público, responsável pelo registro de empresas em cada estado do Brasil, para que possam atuar legalmente. Nos últimos anos, as Juntas Comerciais estão trabalhando para digitalizar e desburocratizar seus processos. Por isso, hoje já é possível solicitar muitos serviços, inclusive a abertura de empresas, pela internet.

Se você quer abrir um MEI, não precisa registrar a empresa na Junta Comercial — basta fazer o cadastro no Portal do Empreendedor. No entanto, para outros tipos de empresas, você vai precisar do registro na Junta Comercial, que costuma pedir os seguintes documentos:

  • Cópia autenticada do RG e CPF do dono ou dos sócios da empresa;
  • Requerimento de Empresário Individual ou Contrato Social, em três vias;
  • Ficha de Cadastro Nacional (FCN), em uma via;
  • Requerimento padrão (capa de processo da Junta Comercial), em uma via;
  • Pagamento das taxas por meio de DARF.

Procure a Junta Comercial do seu estado pela internet e confira os serviços disponíveis pela internet. No estado de Minas Gerais, por exemplo, você pode abrir uma empresa com Registro Digital. No Rio Grande do Sul, você também pode fazer o Registro Digital.

Para ter uma orientação profissional e evitar problemas nesse processo, é importante contar com um contador ou uma contadora de sua confiança, que pode tirar todas as suas dúvidas.

6. Abrir CNPJ online

O Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica é o registro oficial da sua empresa junto à Receita Federal. É o cadastro equivalente ao CPF das pessoas físicas. Para atuar no Brasil, as empresas precisam de CNPJ, embora seja possível vender pela internet sem esse cadastro.

Para registrar sua empresa no CNPJ, não é mais necessário comparecer ao órgão público. O cadastro é iniciado com a apresentação do Documento Básico de Entrada (DBE) pelo responsável legal, o que deve ser feito pelo sistema chamado de Redesim, com o qual as Juntas Comerciais estão integradas.

Todas as informações sobre como inscrever ou atualizar CNPJ estão disponíveis no site do governo.

Vale lembrar que, se o seu registro é como MEI, a criação do CNPJ é feita pelo Portal do Empreendedor, de forma simples e rápida.

7. Emita o Alvará de Localização e Funcionamento

Com os registros na Junta Comercial e no CNPJ, você já pode também emitir o Alvará de Localização e Funcionamento. Esse documento deve ser emitido pela prefeitura da sua cidade, dando autorização para o seu negócio abrir as portas.

Isso é válido não só para empresas que têm escritório ou loja física, mas também para quem opera ou vende pela internet. Em todos os casos, você precisa ter um endereço registrado na prefeitura, com autorização para operação.

As regras podem variar conforme a cidade e o ramo de atividade da empresa. Além disso, cada prefeitura pode adotar procedimentos próprios, sendo que muitas delas já têm processos digitalizados. Consulte informações do seu município. 

Desde 2020, os Microempreendedores Individuais estão dispensados de alvarás e licenças de funcionamento.

8. Faça a Inscrição Estadual e Municipal

A Inscrição Estadual é obrigatória para empresas cuja atividade principal seja a produção de bens ou a venda de mercadorias. Esse registro é necessário para a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Para os MEIs, a Inscrição Estadual é emitida junto com o cadastro no Portal do Empreendedor. Para as demais empresas, é possível solicitar à Junta Comercial do seu estado.

Já a Inscrição Municipal é obrigatória para todas as empresas, e é necessária para a cobrança do Imposto Sobre Serviços (ISS), que é de responsabilidade dos municípios. Muitas vezes, ao fazer o registro na Junta Comercial, essa inscrição é feita automaticamente.

Quais as vantagens de abrir uma empresa online?

Ter uma empresa online e trabalhar na sua própria casa já não é mais novidade. Se, antes da pandemia de coronavírus, o mundo do trabalho já estava migrando para a internet, depois dela a digitalização acelerou. O marketing, as compras e as negociações online se tornaram cada vez mais comuns. Por isso, a abertura de empresas pela internet também cresceu.

A seguir, vamos entender melhor quais são as vantagens de abrir uma empresa online e por que você também deveria pensar nisso.

Rápido de tirar do papel

Muitas vezes, empreendedores que idealizam um negócio podem levar tempo para tirar as ideias do papel, porque esbarram nas burocracias do mundo físico. Por outro lado, com as facilidades da internet, é muito mais fácil e rápido abrir a empresa e já começar as operações. 

Redução na papelada

Abrir uma empresa online tende a reduzir burocracias. Na abertura física, você provavelmente teria que fazer inúmeras cópias de documentos e ainda autenticá-las em um cartório. Na internet, é possível fazer tudo isso sem impressões, apenas com o uso de certificados digitais.

Custo menor

Com a redução da papelada, você também tende a gastar menos no processo de abertura da empresa. Além disso, você não precisa gastar com deslocamentos pela cidade para entregar um documento aqui e pegar uma assinatura ali. Depois, na gestão do negócio, você também tende a economizar com custos de aluguel e manutenção do espaço físico.

Segurança

Abrir empresas online também oferece segurança, já que você não precisa ficar circulando pela cidade com documentos importantes. Além disso, o uso de certificados digitais garante a segurança dos dados e das operações com a administração pública. Depois, na gestão do negócio, você também não precisa se preocupar com roubos nem com custos de segurança.

Vender para outras cidades e estados

A internet não tem fronteiras. Por isso, abrir um negócio online também permite que você amplie o alcance da sua empresa para além da sua cidade ou bairro. É possível vender para pessoas de outras cidades do Brasil, que talvez jamais conhecessem a sua empresa se não fosse pela internet.

Anúncios mais assertivos

Na internet, você pode integrar seu negócio a diversas estratégias de marketing digital. Redes sociais, blogs, buscadores e e-mail marketing, por exemplo, são canais de marketing que permitem criar conteúdos e anúncios focados no seu público-alvo, utilizando-se de dados precisos sobre a sua audiência.

Custo para abrir uma empresa online

Os custos para abrir uma empresa online são bastante reduzidos em relação a uma empresa física, já que você reduz custos com papeladas, deslocamentos e autenticações. Ainda assim, é preciso considerar alguns custos envolvidos no processo de abertura.

Antes, vale ressaltar que a abertura de um MEI é totalmente gratuita — depois, você só vai precisar gastar com os impostos fixos mensais. Já as empresas em sociedade ou empresas individuais envolvem custos de abertura, como a contratação de um contador e o pagamento de taxas às Juntas Comerciais.

Cada Junta Comercial tem seus custos, mas geralmente há cobranças para o registro do ato constitutivo ou contrato social, para a abertura de filiais, para mudança de natureza jurídica, entre outros custos.

Mas se você tem interesse em vender pela internet com poucos custos, é possível começar com uma loja virtual na Bagy. Nossa plataforma oferece planos básicos de baixo custo para quem quer começar com poucos produtos.

Sem complicações, você pode abrir seu negócio virtual pelo nosso aplicativo, pelo celular mesmo, e já começar a vender. Se você ainda não tem CNPJ, não tem problema: comece a vender com CPF e, depois que crescer, formalize a empresa como pessoa jurídica.

Abra sua loja virtual na Bagy e potencialize as suas vendas online!

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Receba uma análise para impulsionar sua loja!

Preencha no nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas para melhorar suas vendas!

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.