Gestão

Venda sem estoque: fique por dentro das melhores dicas

Imagem ilustrativa de venda sem estoque

Veja o que você irá encontrar neste artigo

 A venda sem estoque é um formato prático, que oferece flexibilidade, baixo custo inicial e mais variedade de opções para vender. Além disso, existem vários formatos para trabalhar assim, com produtos físicos e digitais. Mas existem alguns riscos e cuidados para se atentar.

Você já considerou trabalhar com venda sem estoque? Essa possibilidade pode parecer diferente, em um primeiro momento, mas as novas formas de comércio tornam ela possível.

Vendedores que atuam nos formatos tradicionais podem ter que lidar com uma série de problemas com os seus produtos, desde a falta de matérias-primas, até a ponta de estoque sobrando.

E, claro, esses obstáculos também podem custar o seu faturamento, a satisfação do cliente e o reconhecimento da marca.

Por outro lado, a popularização do e-commerce trouxe novas oportunidades de negócio para empreendedores que querem trabalhar na internet.

E o melhor é que não é preciso ter um estoque pronto para começar a sua própria empresa!

Existem várias formas de trabalhar com uma loja virtual, seja em parceria com outras empresas ou de forma autônoma, sem sequer produzir as suas mercadorias.

Quer saber como fazer isso? Confira as dicas que separamos para começar a trabalhar com venda sem estoque, e veja como é possível lucrar no seu negócio sem acumular produtos no armazenamento.

É possível vender sem estoque?

Sim, é possível trabalhar com venda sem estoque! Isso pode ser feito por meio de várias modalidades de negócio, desde utilizar outros centros de distribuição, até comercializar produtos inteiramente digitais.

Muitas pessoas podem ter o sonho de abrir uma loja virtual, mas se preocupam em não ter muitos produtos disponíveis no começo da sua atividade.

No passado, isso poderia ser um problema, especialmente pelo formato padrão que a maioria das empresas trabalhava.

Atualmente, existem novas possibilidades que permitem ao vendedor atuar sem precisar ter muitos itens no seu armazenamento, ou sequer se preocupar com a entrega de mercadorias.

Essas alternativas ficaram populares nos últimos anos, especialmente entre pequenos empreendedores que querem ter um negócio independente, mas não produzem seus itens.

Por meio da internet, essa necessidade deixou de existir, e muitas lojas agora atuam com formatos de venda sem estoque.

Apesar dos desafios que acompanham cada modalidade, existe essa possibilidade e ela pode trazer vários benefícios para você.

Quais as vantagens de vender sem estoque?

Trabalhar com venda sem estoque pode ser vantajoso para vários empreendedores, especialmente aqueles que estão começando nessa área.

Nesse caso, se você ainda tiver dúvidas, vale a pena conhecer alguns desses pontos positivos, que podem te convencer a adotar esse formato no seu dia a dia. Veja mais detalhes sobre esse benefícios abaixo:

Baixo investimento inicial

Para quem está começando em um novo negócio, pode ser difícil reunir todo o capital necessário para abrir uma empresa.

Isso é especialmente importante no quesito estoque, pois é preciso ter produtos reservados para vender, ou você irá prejudicar o seu faturamento.

No entanto, com a venda sem estoque isso deixa de ser uma obrigação. Ou seja, não é necessário guardar o mesmo volume de dinheiro para começar o negócio.

Na prática, significa que você poderá iniciar sua loja com um baixo investimento inicial, não apenas economizando com as mercadorias, como também não tendo custos com local físico e sistemas de armazenamento.

Inclusive, isso torna a oportunidade mais acessível para outros empreendedores, democratizando o mercado comercial e trazendo mais diversidade para o cenário, pois os custos são menores.

Flexibilidade

Sem estar preso a um lugar físico de estoque, você terá mais flexibilidade para trabalhar dentro da sua loja.

Inclusive, esse é um dos benefícios que incentivam tantas pessoas a trabalharem com e-commerce, pois é um formato mais dinâmico e simples de adaptar.

Mesmo os locais físicos de comércio podem ser mais flexíveis sem estocagem, com maior facilidade para mudar de endereço ou fazer mudanças na estrutura, por exemplo.

Essa liberdade é essencial para quem busca a independência de ter a própria empresa, e mais opções para trabalhar no dia a dia.

É um ponto positivo para quem não quer ficar preso em um só modelo, ou mesmo para mudar de ramo quando desejar, já que não terá esse elemento para te prender a determinada categoria de vendas.

Variedade de produtos

Outro ponto positivo que vale a pena mencionar é a variedade de produtos que você pode trabalhar com a venda sem estoque.

Isso porque não será preciso comprar grandes quantidades do mesmo item, que acabam ficando paradas ou sobrando na sua estocagem.

Pelo contrário, você terá mais liberdade para negociar produtos diferentes, com menos custos, por não precisar comprar em larga escala.

Além de contribuir para o seu negócio e para a sua marca, também é vantajoso para o cliente, que irá encontrar produtos sempre modernos e diferenciados, sem ficar preso a um estoque previamente montado.

Especialmente com a diversidade do comércio eletrônico, cada vez mais lojas se interessam por oferecer um catálogo variado, que atraía mais o público. Nesse caso, trabalhar com pouco, ou nenhum armazenamento, é essencial.

Quais os modelos de venda sem estoque?

Se você quer trabalhar com venda sem estoque, vale a pena conhecer alguns dos modelos que estão disponíveis atualmente, para avaliar qual combina melhor com o seu perfil.

Existem alternativas para lojas físicas e virtuais, mas o avanço do e-commerce e das possibilidades de trabalho na internet permitem que a maioria das opções seja melhor adaptada para o mercado digital.

Veja o que considerar para saber como vender sem estoque:

1. Dropshipping

O dropshipping é um modelo de gestão logística que tem crescido no e-commerce, e permite a venda a partir de uma parceria direta com o fornecedor.

Seu funcionamento é simples, uma vez que a loja virtual ou física realiza a negociação com o cliente, e envia o pedido para a companhia que possui o produto.

Em seguida, o fornecedor se responsabiliza por todas as etapas da entrega, desde a separação, embalagem e, claro, a logística de envio.

Sem ter que lidar com os trâmites de separação e envio, a loja pode trabalhar com venda sem estoque, atuando diretamente em parceria com o seu fornecedor.

É um esquema interessante para as duas partes, principalmente pela facilidade. O comércio não precisa ter os produtos disponíveis em seu próprio espaço, e o fornecedor consegue vender sem ter uma empresa ou se preocupar com as etapas da negociação.

Nesse modelo, o lojista também passa a responsabilidade de planejar o envio, o que torna as vendas mais simples, e permite que um profissional cuide de toda a burocracia da entrega.

Assim, sobra mais tempo para cuidar dos atendimentos e da divulgação do negócio, sem comprometer sua reputação por não ter produtos disponíveis.

2. Venda por demanda

A venda por demanda é um formato mais conhecido entre quem quer trabalhar sem estoque, e já é usado há mais tempo pelas lojas físicas.

Nesse formato, o cliente realiza o pedido antes, e o vendedor prepara a mercadoria depois de confirmada.

Dessa forma, não é preciso ter produtos no estoque, pois ele é feito diretamente conforme as orientações do público.

Além de permitir a venda sem estoque, também reduz gastos necessários e pode otimizar o faturamento, já que o vendedor pode adquirir apenas a matéria-prima que precisa, e não a mais.

Geralmente, nesse formato, a empresa fica responsável por todas as etapas de produção, ou conta com uma parceria confiável.

Assim, quando o cliente fizer o pedido e confirmar, é possível iniciar a produção o quanto antes e desenvolver a mercadoria.

Esse formato também pode dar certo em larga escala, desde que exista uma certeza quanto aos pedidos. Por exemplo, muitos confeiteiros preparam doces para datas comemorativas, recebe as encomendas e entrega todas juntas.

Mesmo que não prepare uma por uma, ele tem certeza da demanda e do que é necessário para atendê-la.

Esse formato pode ser mais indicado para pequenos negócios, especialmente artesanais, mas grandes comércios que tenham uma logística apropriada também podem aproveitar a oportunidade.

3. Venda de produtos digitais

Se estamos falando sobre venda sem estoque, é fundamental mencionar a possibilidade de trabalhar com produtos digitais.

Afinal, a internet permite reproduzir o mesmo item mais de uma vez, sendo vantajoso para quem trabalha no e-commerce.

Os produtos digitais, ou infoprodutos, são produções de conteúdos acessados diretamente pela internet ou por dispositivos móveis. Nesse caso, não é físico.

Por ter essa característica, torna possível a comercialização sem um estoque, pois o produtor consegue distribuir um único arquivo para várias pessoas.

É o que acontece com a venda de e-books, por exemplo, ou cursos de treinamento. O conteúdo é feito uma única vez, e entregue para vários usuários a partir da mesma fonte.

E uma vez que os comércios virtuais não precisam de estoque, é mais fácil começar um negócio e vender produtos unicamente pela internet.

4. Afiliados

Se você quer trabalhar com venda sem estoque e pela internet, mas não quer produzir seus infoprodutos, pode atuar como afiliado.

Essa é uma categoria que ganhou ampla popularidade nos últimos anos, especialmente pela praticidade e facilidade de construir um negócio.

Nesse modelo, o usuário se filia a uma plataforma e vende o produto de terceiros, ganhando uma porcentagem de comissão por negociação realizada.

Em outras palavras, existe a chance de ganhar dinheiro sem sequer ter seus próprios produtos, apenas anunciando infoprodutos de outras pessoas.

Com esse formato, é possível se tornar afiliado de mais de um item ao mesmo tempo, e construir um negócio digital próprio apenas com os retornos de comissão.

5. Just in Time

Essa lógica de produção também costuma ser usada por lojas físicas, e permite a venda sem estoque mesmo em comércios convencionais.

Seu formato preza pela compra de matérias-primas somente quando necessário, e começa a trabalhar com o estoque do fornecedor.

No momento em que a compra é confirmada, a empresa desenvolve o produto, ou mesmo envia por meio do fornecedor. Para isso, é essencial ter uma boa relação com profissionais de confiança, para não atrasar a entrega.

Se as matérias-primas forem acabando, a empresa avalia a necessidade de comprar mais, somente se existir essa demanda.

A diferença para modelos como a venda por demanda, por exemplo, é que a loja pode ter um certo estoque, mas geralmente não é de produtos prontos, e sim dos materiais necessários.

Essa modalidade se tornou popular na produção de carros, por exemplo. É muito caro manter todas as peças em estoque, e a produção Just In Time permite comprar apenas o que for preciso assim que uma compra for realizada.

Esse processo é interessante para quem está começando, pois permite economizar capital de giro para manter o estoque de peças.

Apesar de ser um modelo mais atrativo para produções artesanais, comércios em crescimento ou lojas virtuais também podem aproveitar as vantagens desse formato, que reduz a necessidade de ter um grande estoque para atender ao cliente.

Como começar?

Se você se interessou pela modalidade e quer saber como começar a trabalhar com venda sem estoque, existem algumas dicas que podem ajudar.

Cada modelo exige um passo a passo diferente, de acordo com o formato que mais combina com a sua loja.

No entanto, de forma geral, existem recomendações que podem ser úteis para você, especialmente se estiver começando agora.

Por isso, veja as dicas que separamos e saiba como vender sem estoque e potencializar o seu faturamento:

1. Defina o nicho de atuação

Antes de mais nada, é fundamental definir qual será o seu nicho de atuação. Ou seja, a área que você irá trabalhar.

Essa informação é importante para determinar uma série de outros detalhes, como quem será o seu público e quais as matérias-primas para fazer o produto.

Apesar da venda sem estoque ter como característica a flexibilidade, é essencial ter um norte para começar, especialmente se estiver avaliando quais as alternativas mais indicadas para a sua loja.

Além disso, saber seu nicho permitirá ter uma noção mais concreta sobre como você quer atuar, de forma física, digital ou mesmo quais os canais que mais fazem sentido para o seu negócio.

Mesmo empresas convencionais, que trabalham com estoque a pronta-entrega, precisam escolher um nicho para atender.

Por isso, esse é um dos passos mais importantes na sua jornada, e tornará mais fácil a sua escolha.

Além disso, cada segmento apresenta uma infinidade de possibilidades, e mesmo escolhendo um nicho específico você ainda terá muitas opções. Assim, não se preocupe com possíveis limitações.

2. Pesquise o mercado

Uma vez que o seu nicho está definido, é hora de pesquisar o mercado. Para ter sucesso na venda sem estoque, você precisa saber como o seu público se comporta.

Por esse motivo, busque avaliar seus potenciais clientes, o que eles buscam e quais as necessidades que apresentam.

Em seguida, considere ver seus concorrentes, entender o que eles oferecem e qual a lacuna que o seu negócio irá preencher.

Isso pode ser mais difícil na internet, onde existem milhares de comércios dentro do seu nicho. Entretanto, basta fazer um panorama geral para começar a trabalhar.

Pesquisando sobre o mercado, você terá mais confiança nas suas escolhas, e saberá qual o formato mais indicado para atender a esse público.

Por exemplo, pode não ser interessante optar pelo dropshipping que atende somente a uma região, ou fazer vendas por demanda se o processo demora ou tem muita procura. 

Esses elementos afetam o seu faturamento, e a alternativa é conhecer o mercado para saber qual a melhor escolha.

3. Escolha fornecedores confiáveis

Um dos pilares para a venda sem estoque é ter fornecedores confiáveis, e este é um dos primeiros passos para ter sucesso nesse segmento.

Afinal, se você não terá produtos armazenados e não irá fabricar seus artigos, dependerá quase que inteiramente das companhias que te oferecem a mercadoria.

E na maioria dos formatos de vendas sem estoque é necessário ter um fornecedor confiável e que esteja alinhado com a empresa, para atender a todos os pedidos.

Por esse motivo, faça uma procura detalhada para encontrar a empresa que melhor combina com o seu negócio, e tenha boas recomendações.

Avalie a opinião de clientes e outros parceiros, entenda seus prazos e saiba como ele funciona antes de fechar qualquer pedido.

Dessa forma, você terá mais tranquilidade nas suas vendas, sabendo que terá a demanda atendida quando precisar, por contar com um fornecedor confiável.

4. Prepare as finanças

Mesmo que a venda sem estoque traga economia nos custos e reduza os gastos iniciais para abrir um negócio, ainda é fundamental preparar as suas finanças.

Afinal, você precisará de capital para movimentar suas atividades, comprar matérias-primas e pagar seus fornecedores.

Nesses modelos, pode ser mais imprevisível saber quando precisará gastar seus recursos. Se o fornecedor não trabalhar com o formato de pagamento único, a cada mês, por exemplo, as compras deverão ser quitadas no pedido.

E se a sua empresa tiver um formato de atendimento sob demanda, quando o cliente realizar a solicitação, você precisará ter dinheiro para comprar as matérias-primas.

Cada cenário acompanha possibilidades e exigências distintas, e é essencial estar preparado para todas elas. Do contrário, você pode comprometer não apenas o seu faturamento, mas a satisfação do seu cliente.

Além disso, uma loja virtual ou física não tem apenas o estoque como gasto, mas também custos com funcionários, marketing e despesas fixas.

Mesmo que seja um formato mais acessível e simples, ele também demanda capital, especialmente para se consolidar no mercado.

Por esse motivo, planejar o orçamento e ter controle sobre as suas finanças é igualmente importante.

5. Atente-se à logística

Finalmente, uma dica importante para trabalhar com a venda sem estoque é estar atento para a logística.

Muitas pessoas acreditam que não é necessário ter esse cuidado nesse formato. Afinal, a empresa não irá realizar a entrega dos produtos ou cuidar das etapas de separação e envio.

No entanto, você precisará saber como vai funcionar o esquema dentro do seu comércio. Ou seja, quais os estágios de venda e comunicação com o seu fornecedor.

Se for uma loja virtual, você pode usar uma plataforma integrada para administrar suas vendas e acionar seu parceiro para seguir com o pedido.

Ou, ainda, pode avaliar a possibilidade de trabalhar com o mínimo de matérias-primas, para realizar a produção sob demanda apenas quando solicitado.

Cada modalidade exige uma logística diferente para ser bem-sucedida, e você tem que estar atento a isso se quiser que a sua venda sem estoque não tenha problemas.

Além disso, lembre-se de compartilhar esse esquema com seus fornecedores e outras pessoas envolvidas. Eles também precisam saber seus próximos passos, para se preparar e atender, efetivamente, ao que você precisa.

Quais os riscos de vender sem estoque?

Fazer a venda sem estoque também possui riscos, especialmente ligados à falta de controle que você terá em algumas etapas.

Nesse caso, é essencial conhecer alguns desses pontos de atenção antes de optar por essa possibilidade, para se preparar do jeito certo.

Veja alguns dos principais riscos que vale a pena reforçar:

Controle de qualidade

Sem um estoque próprio, você não poderá ter total controle da qualidade dos produtos que a sua marca vende.

Claro, você irá procurar pelos melhores fornecedores possíveis, e se assegurar de estar oferecendo uma mercadoria certificada.

No entanto, pode ser difícil monitorar cada artigo, especialmente se eles não são enviados pela sua empresa e você não acompanha o processo logístico.

Com isso, pode ter mais riscos de não atender às expectativas do cliente, aumentando as chances de problemas com a mercadoria no futuro.

Trocas e devoluções

Como consequência do risco anterior, você pode ter que lidar com trocas e devoluções, o que é mais difícil na venda sem estoque.

Afinal, você não é responsável pelo produto, e precisa fazer a mediação com o fornecedor para atender ao pedido do cliente.

Muitas vezes, o processo sequer acompanha seu endereço, e as burocracias de troca podem ser maiores sem ter uma plataforma de controle, por exemplo.

Assim, é necessário se preparar com mais cuidado para essas ocorrências, sem prejudicar o comprador, comprometer a operação junto ao seu fornecedor e seguindo o Código de Defesa do Consumidor.

Dependência

A venda sem estoque é um formato prático, mas que também pode trazer uma maior dependência de outros fatores, principalmente do fornecedor.

Afinal, ele será responsável pelo envio da mercadoria, em alguns casos, ou de entregar os materiais que você precisa no momento certo.

Apesar da flexibilidade, esse quesito de dependência pode se tornar um risco maior sem um controle efetivo ou um bom planejamento.

Como escolher o modelo de vendas sem estoque ideal?

Depois de conhecer os modelos de venda sem estoque, você precisa ter atenção em alguns pontos antes de escolher o ideal.

Em primeiro lugar, tenha em mente os objetivos da sua loja e como você quer trabalhar. Optar pela modalidade perfeita depende da forma que você quer construir a sua marca.

Além disso, lembre-se de considerar as suas próprias limitações e características. Por exemplo, pessoas que não possuem habilidade manual podem não conseguir fazer seus próprios produtos, e a venda por dropshipping se torna mais indicada.

Ao mesmo tempo, vendedores que desejam ter ao menos parte do controle sobre o processo podem trabalhar com a produção sob demanda.

Cada formato atende a um perfil diferente, e você terá mais chances de sucesso se escolher um que combina com a sua loja.

Ainda, em termos práticos, lembre-se de ter um planejamento completo e efetivo. Mesmo sem precisar do estoque, é fundamental contar com uma logística bem traçada.

Conhecer os modelos e testar alguns deles também é uma dica para escolher o melhor, pois você terá experiência e saberá qual se sente mais confortável para desenvolver.

Quais os cuidados a serem tomados?

Por fim, antes de começar um negócio de venda sem estoque, tome cuidado com a sua forma de atuação e interação com os clientes.

Nunca faça negociações sem ter certeza da disponibilidade do produto, seja com o fornecedor direto ou com a produção a longo prazo.

Informe todas as datas de elaboração, separação e entrega, para que o consumidor esteja ciente sobre quanto tempo esperar.

Isso não apenas evita problemas de satisfação, mas também constrói uma relação mais transparente com o público.

Se optar por uma venda sem estoque digital, procure contratar plataformas especializadas para te ajudar nesse controle, administrando melhor suas vendas e recebimentos.

Existe a possibilidade de ser independente nessa modalidade, mas é necessário contar com as ferramentas certas para te acompanhar.

Sem isso, pode ser mais difícil saber o que foi vendido, especialmente itens digitais, seja na forma de produtor ou afiliado.

É possível ter um negócio bem-sucedido de venda sem estoque, mas tomando os devidos cuidados para oferecer o que o cliente espera, e com técnicas de administração mais aprimoradas, para não se perder.

Com essas dicas, você conseguirá trabalhar sem precisar de nenhum estoque, e ter os resultados que espera com um negócio prático de começar.

Se você ainda não tem uma plataforma, conheça a Bagy. Nossa plataforma já ajudou milhares de lojistas a terem uma loja online. Não perca tempo!

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Receba uma análise para impulsionar sua loja!

Preencha no nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas para melhorar suas vendas!

Artigos relacionados

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.