Marketing

Marketing de comunidade: descubra como usar essa estratégia

Imagem ilustrativa de marketing de comunidade

Veja o que você irá encontrar neste artigo

O marketing de comunidade é uma estratégia muito eficiente para aproximar a sua marca de um segmento específico, garantindo uma comunicação muito mais direcionada e, consequentemente, melhores resultados das suas ações e vendas.

Você provavelmente já ouviu falar sobre o marketing de atração, não é mesmo? Mas dentro desse conceito fundamental para as marcas atualmente, é preciso conhecer também outras estratégias que podem ser úteis para o seu negócio se aproximar dos seus clientes, como o marketing de comunidade.

Como o nome já indica, a estratégia consiste em direcionar as suas ações para um segmento específico do seu público-alvo. Ou seja, a comunicação se torna ainda mais direcionada, o que pode significar, por exemplo, um aumento nas suas vendas de um produto ou serviço da sua marca.

Mas como esse conceito funciona na prática? Como ele pode ajudar, por exemplo, a sua loja a vender cada vez mais? E quais são os passos para estruturar uma estratégia eficiente de marketing de comunidade? Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre o tema e potencializar a sua marca!

O que é marketing de comunidade?

Marketing de comunidade é uma estratégia que busca conectar uma marca com um segmento específico de consumidores em potencial. Normalmente, é uma ação que é permeada por uma conexão natural — de valores, por exemplo — entre público e empresa.

Em vez apenas de focar em conseguir vendas, uma marca busca atuar em um segmento específico, aproveitando o interesse — ou a paixão em alguns casos — sobre um tema específico para aumentar as suas chances de conversão e fidelização de uma base de clientes.

Para que o marketing de comunidade funcione, portanto, é necessário ter esse elemento de conexão entre os dois lados. Seja a paixão por um hobby, seja o maior interesse por um produto bastante específico. Estruturando a partir desse elemento, se torna possível aproximar marca de clientes.

Apesar desse ser um conceito bastante tradicional e antigo, a transformação digital permitiu que ele fosse levado para vários lugares e aplicações. Ou seja, não é preciso estar fisicamente no mesmo lugar que os clientes daquele nicho, a conexão também pode ser criada virtualmente.

Um dos exemplos mais clássicos de marketing de comunidade é a Harley Davidson. A fabricante de motocicletas não se relaciona com seus clientes apenas com a intenção de vender seus produtos, mas promover um conceito maior, nesse caso, focado em liberdade e paixão por motos.

Para que serve?

Dentro de um mercado tão concorrido, identificar nichos em potencial para que a sua marca atue pode ser uma forma de potencializar as suas vendas e estabelecer uma reputação confiável. No caso da Harley Davidson, os seus consumidores têm uma paixão pelo que a marca representa.

Em um momento em que a identificação entre marcas e consumidores é tão importante, o marketing de comunidade serve para estreitar esses laços, fazendo possível que uma empresa consiga se conectar com seu público de maneira mais natural e sustentável.

Como funciona na prática?

O conceito de marketing comunidade pode ser muito amplo, não é mesmo? Para não ficar nenhuma dúvida, portanto, é preciso entender mais detalhes sobre o seu funcionamento na prática. Em resumo, são quatro elementos que precisam estar presentes para o conceito ser colocado em ação:

  • Um grupo de indivíduos que têm interesses e paixões parecidas;
  • Um senso de pertencimento e conexão com um propósito mais amplo;
  • O interesse e a preocupação entre os indivíduos que fazem parte dessa comunidade;
  • Espaços — físicos ou virtuais — em que os indivíduos dessa comunidade podem se encontrar e fomentar suas paixões e interesses.

Ou seja, tudo começa com um interesse em particular sobre um tema. Um exemplo simples pode ser o interesse por plantas e natureza. Mas não se trata apenas de decorar um ambiente, por exemplo, mas sim um propósito maior, de natureza, de sustentabilidade e outros elementos.

Mas até aí se trata apenas de um mercado como qualquer outro, não? É verdade, mas o marketing de comunidade realmente se estabelece quando esse interesse estimula a troca entre esses indivíduos — e marcas, na melhor das hipóteses —, estabelecendo um senso real de comunidade.

Nesse caso, portanto, as marcas que desejam colocar o marketing de comunidade em prática precisam entender todos esses quatro elementos e, a partir disso, identificar quais são as suas tarefas para fomentar essa comunidade específica.

Vamos seguir no exemplo das plantas, tudo bem? Um e-commerce de plantas pode criar grupos ou entrar em redes sociais que falem sobre plantas, sobre dicas práticas, sobre conceitos mais amplos, como sustentabilidade, enfim, a marca ajuda a fomentar a comunidade.

Seja entregando conteúdos relevantes, seja permitindo que os indivíduos dessa comunidade possam se conectar e colocar seus interesses em prática. Existem várias formas de atuação, o que torna essa estratégia tão eficiente e interessante nos dias de hoje.

Quais as categorias?

Dentro do conceito de marketing de comunidade, existem duas categorias distintas que você precisa conhecer para direcionar seus esforços, confira! Para ficar mais fácil de compreender essa ideia, vamos continuar no exemplo das plantas, ok?

Orgânico

No caso do marketing de comunidade orgânico, estamos falando de uma relação que acontece de maneira natural. Ou seja, os próprios indivíduos que têm esse interesse em comum estimulam e colocam uma marca específico dentro daquela comunidade.

Como falamos, isso pode acontecer com o simples fato da expertise dessa marca ser interessante para fomentar os interesses e paixões. Ou, em outros casos, é uma alternativa para possibilitar que esses interesses sejam concretizados na prática.

Ainda no exemplo de um e-commerce de plantas, uma estratégia de marketing de conteúdo pode ajudar a fomentar a comunidade. Fornecendo a expertise, por exemplo, para ajudar consumidores com eventuais dúvidas — de escolher a planta ideal até mesmo assuntos mais profundos.

Por outro lado, a participação orgânica pode acontecer também por meio da oferta de valor daquele e-commerce. Seus preços são tão bons, as plantas têm tanta qualidade que, na prática, aquela comunidade identifica na loja virtual a oportunidade de colocar seus interesses em prática.

Patrocinado

Com a popularização do conceito de marketing de comunidade, outra forma de colocar essa estratégia em prática foi criada: o patrocinado. Em resumo, acontece quando uma marca entrega parte da sua oferta de valor para que um nicho seja estimulado.

Em vez de ser o caminho relatado anteriormente, em que os próprios consumidores identificam a marca como um gerador de fomento para a comunidade, nesse tipo de marketing de comunidade, é o processo contrário: a marca mostra ao público como pode agregar.

Seja oferecendo descontos exclusivos para os indivíduos que fazem parte daquele comunidade, seja patrocinando eventos para que a comunidade possa se reunir física ou digitalmente. Por mais que não seja algo natural, ainda é um caminho válido para muitas empresas.

Afinal, quando falamos em resultados orgânicos, estamos tocando em um assunto que é improvável de ser controlado. A sua marca é dependente daquele nicho para fazer parte da comunidade, enquanto na versão patrocinada, a aceitação pode ser mais complexa, mas se torna algo mais planejado.

Por que investir em marketing de comunidade?

Afinal, por que o marketing de comunidade é benéfico para o seu negócio? Confira as vantagens de investir nessa estratégia!

Engajar

O engajamento é, sem dúvidas, o principal benefício do marketing de comunidade. Afinal, a sua marca passa a fazer parte de um grupo, sendo reconhecida como tal e valorizada entre os consumidores que fazem parte dela. Na prática, isso pode representar uma série de oportunidades de negócio.

Construir conexões com o público

A fidelização de clientes é um tema cada vez mais relevante no mercado e conseguir construir conexões com o público é uma das formas mais eficientes para que o marketing de comunidade pode ser utilizado. Mais do que uma venda, a sua marca se estabelece dentro daquele mercado.

Demonstrar humanização

Outro tópico cada vez mais importante para as empresas atualmente é a humanização das marcas. Ou seja, mais do que vender um produto, as lojas querem ser vistas como parceiras. Para isso, o marketing de comunidade pode ser muito útil, fornecendo essa visão para o público daquela comunidade.

Como usar essa estratégia?

Você já entendeu o conceito de marketing de comunidade e como ele pode beneficiar o seu negócio, certo? Agora, confira na prática o que você precisa fazer para utilizar essa estratégia!

Defina seu propósito

A primeira etapa é muito simples: definir um propósito para a sua marca. Lembra que vai ser esse interesse e/ou paixão que pode conectar a sua empresa aos participantes de uma comunidade? Pois bem, esse deve ser o elemento principal a ser analisado.

Engaje as pessoas da comunidade

Agora que você já sabe qual é o propósito do seu negócio, é hora de mostrar aos participantes dessa comunidade que você pode contribuir com os interesses e paixões desse grupo. Para isso, é necessário engajar com essas pessoas, apresentando a sua empresa.

Apresente-se como especialista

Nesse momento da apresentação, a forma mais eficiente de estabelecer uma relação de confiança é se apresentando como especialista. Isso vai fazer com que mais consumidores entendam como a sua empresa vai poder ser útil na prática.

Mantenha os membros alinhados

Para que essa estratégia funcione, é necessário que todos os profissionais da sua equipe estejam alinhados. Afinal, qualquer tipo de contato precisa sempre garantir que os interesses daquela comunidade estejam de acordo com o posicionamento da sua marca.

Capacite os colaboradores

Por isso, é preciso capacitar todos os colaboradores. Primeiro, apresentar quais são os seus valores, propósitos e interesses. Em seguida, mostrar como cada um deles é colocado em prática na realidade de trabalho de cada um.

Monte uma equipe de marketing de comunidade eficiente

À medida que essa estratégia vai se consolidando para a sua marca, você deve estruturar uma equipe específica para lidar com o marketing de comunidade. É a partir do trabalho desses profissionais que as ações mais eficientes vão ser colocadas em prática.

Aposte em personalização

Dentro do marketing de comunidade, a personalização é um elemento que ganha bastante importância e pode fazer parte da realidade dos seus consumidores, sendo mais uma estratégia para construir esse laço mais sólido com seus clientes em potencial.

Crie eventos e campanhas exclusivas

Por fim, uma marca precisa sempre estar presente naquela comunidade para que a estratégia funcione, certo? Por isso, uma forma de se fazer isso é investindo na realização de eventos e campanhas exclusivas, permitindo que a conexão aconteça de maneira mais eficiente, natural e regular.

Quais os melhores canais de comunicação?

Além de todos esses cuidados, é interessante analisar também quais são os canais em que você deve marcar presença, certo? Cada um deles têm benefícios e as suas particularidades, mas os dois são fundamentais para que a estratégia de marketing de comunidade funcione. Confira!

E-mail

Um dos canais mais eficientes para a troca de comunicações individuais é o e-mail. Por isso, você deve considerar essa plataforma como uma das formas de se aproximar dos consumidores que fazem parte de uma comunidade específica, possibilitando uma atuação bastante segmentada e direcionada.

Redes sociais

Outro canal que deve ser considerado para a sua estratégia de marketing de comunidade são as redes sociais. De forma mais ampla e pública, as marcas podem ser relacionadas com os indivíduos de uma comunidade de maneira mais simples e prática em suas rotinas.

O marketing de comunidade é, portanto, uma estratégia muito eficiente para marcas que têm diferentes nichos de atuação. Dessa forma, o seu negócio vai se aproximar dos consumidores ideais, aumentando ainda mais as chances de sucesso das suas ações de marketing e comunicação.

Agora que você já conheceu um pouco mais sobre essa estratégia, o que acha de direcionar os seus esforços para tornar a experiência dos seus clientes — sejam eles segmentados ou não — cada vez melhor? Conheça a melhor forma de vender com sua loja na internet com a Bagy!

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Tenha um site pronto para sua loja vender!