Produtos e Nichos

O que vende mais: roupa feminina ou infantil? Entenda o lucro e como descobrir o nicho ideal

O que vende mais roupa feminina ou infantil

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Afinal, o que vende mais: roupa feminina ou infantil? Essa é uma pergunta difícil de responder, pois ambos os segmentos são excelentes opções para quem está começando um negócio na internet. Entretanto, existem diferenças na atuação e no mercado que podem te ajudar a descobrir qual deles mais combina com você.

Pensando em abrir um pequeno negócio na internet, mas ainda não sabe qual o melhor produto para investir? Neste post, reunimos informações sobre dois segmentos muito prestigiados, tanto pelo público, quanto pelos empreendedores: roupas femininas e roupas infantis.

O setor de vestuário em geral foi um dos que mais se destacou nos últimos anos, acompanhando o recente crescimento explosivo do e-commerce, que não deve desacelerar tão cedo. Uma pesquisa realizada pela Opinion Box revelou que 49% dos consumidores brasileiros pretendem comprar mais pela internet em 2022, e o mercado de roupas está entre os mais procurados.

Isso demonstra que o público superou a clássica objeção “preciso experimentar antes de comprar”, muito comum no setor, o que também se deve à melhoria dos processos de entrega, troca e devolução das lojas virtuais.

Nos tópicos, a seguir, você confere informações essenciais sobre o mercado de vestuário feminino e infantil, dois segmentos pra lá de promissores, mas que apresentam algumas diferenças importantes. Dessa forma, você vai poder saber o que vende mais: roupa feminina ou infantil. Confira!

Qual o lucro de vender roupas?

A indústria da moda é uma das maiores do mundo, e o setor detém o maior faturamento global no e-commerce B2C (venda direta ao consumidor), segundo dados reunidos pela Valor Investe. No Brasil, especificamente, o comércio de itens de vestuário é um dos mais tradicionais do país, o que se deve à sua versatilidade e à enorme variedade de nichos que agrega.

É justamente por isso que não é possível definir, exatamente, qual o lucro de vender roupas, pois o setor dá espaço para negócios de todos os tamanhos e tipos, de MEIs (Microempreendedores Individuais) a gigantes multinacionais.

Independentemente disso, existem vários fatores que influenciam diretamente os resultados, especialmente entre os pequenos varejistas. Veja alguns, a seguir!

Fatores externos

O cenário externo de um negócio é tudo o que acontece no mercado ao seu redor e que, naturalmente, pode acarretar consequências positivas ou negativas. Ou seja, são fatores fora do seu controle que podem impactar severamente os seus resultados.

O principal exemplo que podemos citar atualmente é a pandemia de COVID-19, uma crise inesperada que gerou reflexos na economia de todos os países. Entretanto, no que diz respeito à venda de roupas, embora a circulação de consumidores nas lojas físicas tenha sido muito impactada, as compras no e-commerce, como dito, foram muito favorecidas.

Entre outras questões que podem afetar os empreendimentos, temos fatores políticos e socioeconômicos, características sazonais e regionais, bem como a concorrência, que é bastante acirrada no mercado de vestuário.

Tendências

Um bom empreendedor deve estar sempre atento às tendências, pois as inovações e as mudanças no comportamento dos consumidores são as principais oportunidades de alavancar negócios em praticamente todos os setores.

No mercado de vestuários, algumas tendências globais que merecem ser citadas são o comércio de itens usados ou de segunda mão (second hand), marcas focadas em nichos altamente especializados, como moda plus size, além dos marketplaces e das lojas virtuais que são cada vez mais acessíveis para os pequenos negócios.

Abraçar tendências é uma ótima maneira de começar com o pé direito nas vendas de roupas, mas antes de apostar tudo em uma estratégia é preciso assegurar que ela é sustentável e não apenas uma onda passageira.

Investimento e tempo de dedicação

Com a popularização do acesso à plataformas de venda, muitas pessoas enxergam no empreendedorismo, uma oportunidade de fazer uma renda extra ou complementar os ganhos do salário.

Não há problema algum em fazer isso, até porque as ferramentas mais modernas simplificaram muito a vida do empreendedor, especialmente na internet. Existem serviços que permitem criar lojas virtuais profissionais e gerenciar vendas em diferentes canais usando apenas o celular.

Entretanto, esse tipo de atuação pode limitar o vendedor de várias formas, uma vez que o trabalho e a dedicação necessárias para tocar um negócio são grandes. Naturalmente, quem investe mais e se dedica mais tempo, costuma ter resultados melhores e mais rápidos, mas é perfeitamente possível fazer uma transição lenta e segura, pois na internet os custos são geralmente baixos.

Margem de lucro

Por ser mais abrangente, o mercado de moda feminina tende a faturar mais que o de moda infantil, entretanto, o empreendedor deve ter bem claro em mente que faturar muito não significa, necessariamente, ter lucro. O faturamento é todo o dinheiro que entra na empresa, já o lucro é o valor que resta desse montante após deduzidos todos os custos (fixos e variáveis) do negócio.

Sendo assim, um produto que vende muito pode representar um bom faturamento no fim do mês, mas se sua margem de lucro for muito baixa, pode ser que ele não seja nem mesmo capaz de cobrir as despesas do empreendimento. Por outro lado, um produto que gera custos baixos e é vendido com uma boa margem de lucro, pode ser mais vantajoso, mesmo quando o número de vendas é menor.

Além dos custos envolvidos na manutenção do negócio, outros fatores podem influenciar o lucro final de uma mercadoria. Se você produz seus próprios produtos, por exemplo, deve levar em conta o quanto precisa investir em cada item para viabilizar sua produção. Para quem trabalha com revenda, existem repasses importantes que influenciam o investimento com fornecedores, como comissão de marcas e royalties (uso de conteúdos protegidos por direitos autorais, como estampas com personagens de desenhos animados ou de filmes).

O que vende mais: roupa infantil ou feminina?

Agora que você sabe o que considerar ao analisar a margem de lucro de roupa infantil e feminina, é hora de avaliar as características desses dois segmentos. A seguir, listamos as principais vantagens e desvantagens que cada um deles oferece!

As vantagens e desvantagens da moda infantil

Pequenas marcas de moda infantil têm feito um grande sucesso nas redes sociais, sobretudo pela conexão e pela comunicação próxima com o público, fatores que favorecem a humanização.

O empreendedor deve ter em mente, porém, que consolidar uma marca é uma tarefa difícil e que pode levar tempo. Outro ponto importante é que o público tem buscado produtos de melhor qualidade, o que pode exigir um investimento inicial maior.

O maior desafio da área, porém, tem sido o crescimento dos marketplaces focados em importação. Vendedores internacionais conseguem comercializar produtos de outros países por preços muito baixos, o que tem feito muitos lojistas apostarem em nichos diferenciados capazes de motivar o consumidor a pagar um pouco mais pela qualidade e pela exclusividade.

Os empreendedores pesquisam por tudo. Há quem queira saber se vender roupas de bebê dá lucro, outros querem descobrir qual o lucro de uma loja de roupa infantil focada em crianças. As opções de atuação são muito variadas e essa é uma grande vantagem do segmento.

Outro ponto importante é que esse mercado é muito impulsionado pela cultura pop e pela mídia, o que pode facilitar a atração do público e reduzir custos com divulgação. Peças com personagens famosos, por exemplo, podem fazer mais sucesso do que itens de grifes renomadas.

As vantagens e desvantagens da moda feminina

O maior desafio para quem deseja vender roupas femininas hoje continua sendo a concorrência. Além dos já citados marketplaces que abrigam competidores internacionais, muitos nichos já encontram-se saturados em determinadas regiões, o que exige que o empreendedor tome ainda mais cautela na escolha do seu.

Para quem fabrica seus próprios produtos, é preciso levar em consideração o aumento dos custos com matéria-prima em decorrência do cenário econômico atual, além da rápida movimentação desse mercado. Em um único ano, a moda pode se transformar diversas vezes, obrigando os criadores a se adaptarem com frequência e dificultando as lojas a limparem o estoque.

Entretanto, não há dúvidas de que vender roupa feminina dá dinheiro, mesmo com todas as dificuldades citadas. A demanda por produtos dessa categoria é gigante e está constantemente sendo renovada, mas o que realmente chama a atenção nesse mercado e o torna tão atraente é a sua enorme capacidade de segmentação.

Entre os nichos mais promissores da atualidade, podemos citar as modas gestante, country, streetwear, evangélica e a, já citada, plus size. Também vale destacar que as mulheres têm buscado produtos que não beneficiam apenas a aparência, mas que também agreguem conforto e praticidade no dia a dia.

Outro fator que merece destaque é a sustentabilidade. Os consumidores estão mais atentos às práticas das empresas e dando preferência para marcas que se comprometem a reduzir o impacto ambiental nos seus processos produtivos e comerciais.

Como vender roupas pela internet?

Independentemente do que vende mais, roupa feminina ou infantil, o fato é que criar um negócio na internet é a maneira mais simples e acessível de entrar no mercado. Sendo assim, reunimos algumas dicas que podem ajudar você a fazer sucesso na web rapidinho. Confira!

Defina um nicho de mercado

Sobretudo para os pequenos negócios, apostar em um nicho é muito mais vantajoso do que investir em um catálogo generalista. Produtos específicos diminuem os custos com fornecedores e conferem maior personalidade à sua marca, facilitando sua popularização.

A venda de roupas femininas e infantis reúne os mais diversos nichos, e a sua escolha deve se basear não apenas nos números do mercado, mas também no que você aprecia e se identifica. A paixão do empreendedor por seu negócio é um propulsor para o seu sucesso.

Encontre bons fornecedores

Seja para adquirir insumos para sua produção, seja para comprar mercadorias para revender, encontrar bons fornecedores é essencial. Essa parceria pode influenciar o preço, o estoque, os prazos de entrega e até o posicionamento da sua marca, tendo em vista a qualidade dos produtos e sua disponibilidade.

Construa estratégias de divulgação e venda

Divulgar um produto na internet é muito diferente do que é feito em negócios físicos regionais. Os alvos da sua estratégia devem ser os buscadores, como o Google, e as redes sociais, em especial aquelas com mais recursos comerciais, como o Instagram.

Além dos populares anúncios que encontramos nessas plataformas, você pode promover a sua loja produzindo conteúdos (Marketing de Conteúdo) e também fazendo parcerias com influenciadores digitais.

Pense na logística

A qualidade da logística do seu negócio impacta diretamente a reputação da sua marca na internet. Os consumidores atuais são ansiosos e não gostam de perder tempo, é por isso que os atrasos na entrega de produto estão entre as principais queixas do e-commerce.

Sendo assim, você vai precisar definir o serviço que será responsável pela entrega das suas mercadorias, que pode ser os Correios ou transportadoras privadas. Há também a opção de utilizar plataformas de fretes, como o Melhor Envio, que simplificam a cotação e a negociação com essas empresas.

Encontre a plataforma ideal

Por fim, você precisará de uma plataforma para comercializar seus produtos. Atualmente, o mercado oferece diversas opções para isso, com destaque para os marketplaces e as próprias redes sociais que já contam com recursos de venda.

Entretanto, é extremamente recomendável investir em uma loja virtual, mesmo quem já tem um negócio rodando em outros sites. Uma loja virtual lhe garante um espaço realmente seu na web, agrega profissionalismo à sua marca e torna a gestão das suas vendas muito mais prática.

E, então, o que vende mais, roupa feminina ou infantil? Como dito, o mercado de vestuário feminino é maior em amplitude e segmentação, mas ambos são muito promissores, e é por isso que você deve analisar outros fatores na sua escolha.

Sua paixão pela área, o potencial do nicho escolhido, as características do mercado, o canal de vendas utilizado e até a plataforma utilizada para comercializar seus produtos online, tudo isso influencia o sucesso do seu negócio.

Se você deseja impulsionar as suas vendas online, não perca tempo e crie sua loja virtual com a Bagy!

Pedro Fonseca

Especialista em Marketing e Estratégias Digitais, atua no mercado de e-commerce a mais de 3 anos. Hoje seu principal foco, como CMO na Bagy, é trazer conteúdo relevante para empreendedores de todos os portes e segmentos, a fim de melhorar seus resultados e disseminar boas práticas no comércio eletrônico.

Receba uma análise para impulsionar sua loja!

Preencha no nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas para melhorar suas vendas!

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.