Marketing

Marketing de conteúdo para e-commerce: o que é, por que vale a pena e dicas para aplicar

Aprenda a fazer marketing de conteúdo para e-commerce

Veja o que você irá encontrar neste artigo

E se em vez de ir até o seu cliente, o seu cliente viesse até você? Esse é um dos princípios do Marketing de Conteúdo para e-commerce, um tipo de divulgação que desafia os lojistas a irem além das ofertas para se tornarem grandes educadores no seu mercado.

As campanhas pagas de Marketing Digital para e-commerce são fundamentais para colocar seus produtos nas grandes vitrines da internet, como os buscadores e as redes sociais. Entretanto, eles apresentam características que entram em conflito com o comportamento dos consumidores modernos.

A maioria dos anúncios são interruptivos, ou seja, eles interrompem o usuário que está focado em outro conteúdo, muitas vezes gerando irritação e constrangimento. Essa impressão varia de acordo com o canal em que acontece, mas, de maneira geral, tende a ser inconveniente, principalmente quando a mensagem é muito invasiva ou repetitiva.

É aí que entra o Marketing de Conteúdo, uma solução que muda completamente a postura da sua empresa na internet. Em vez de ser só mais uma loja exibindo suas ofertas ao público, sua marca se torna uma educadora do mercado, atenta às dúvidas da audiência e sempre disponível para resolvê-los por meio de materiais relevantes.

Quer entender como isso funciona? É só continuar a leitura!

O que é o Marketing de Conteúdo aplicado ao e-commerce?

Dentro do e-commerce, o Marketing de Conteúdo tem como principal objetivo atrair clientes por meio da divulgação de conteúdos que auxiliem o público a conhecer, a escolher e a utilizar os produtos comercializados pela loja virtual.

Um dos maiores diferenciais dessa abordagem é que a empresa não aparece apenas no momento da decisão de compra, ela entra na vida do consumidor desde o início da jornada, muito antes da oferta.

O primeiro contato com a marca pode acontecer antes mesmo do cliente saber que tem um problema ou necessidade a ser solucionada com um produto, e é esse acompanhamento longo e processual que tanto fortalece o relacionamento com o público.

Outro ponto importante é que, embora por trás dos conteúdos existam estratégias muito bem arquitetadas, o desenrolar do processo se dá de uma forma muito natural do ponto de vista do consumidor.

Ao contrário dos anúncios, os conteúdos não são nem um pouco interruptivos. É o próprio usuário que busca por informações e consome os materiais da empresa em blogs e redes sociais, quando e como desejar.

Quais são as diferenças entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo?

Com a enorme popularização do Inbound Marketing entre as empresas que atuam na web, o termo se tornou uma espécie de sinônimo de Marketing de Conteúdo, embora apresente características particulares.

Em essência, Marketing de Conteúdo é qualquer ação de mercado fortemente apoiada na criação e distribuição de conteúdo, desde a publicação de revistas e guias com propostas comerciais às atuais práticas fortemente baseadas em blogs e otimização para mecanismos de pesquisa.

O Inbound Marketing é uma estratégia de Marketing de Conteúdo focada em conversão, ou seja, transformar consumidores de um público específico em potenciais clientes. O que realmente o caracteriza, porém, é a estruturação da jornada do cliente em um modelo conhecido como Funil de Vendas.

Esse funil funciona como um filtro para as equipes de venda e seu papel é mapear, dentro de um grande público, a posição das pessoas no processo de compra. A estrutura básica é a seguinte:

  • topo do funil: pessoas que ainda não conhecem a empresa e estão buscando soluções para suas dores e problemas atuais;
  • meio do funil: pessoas que já estão cientes do problema ou necessidade e estão avaliando opções, entre elas a sua empresa;
  • fundo do funil: pessoas que já se decidiram pela compra, mas apresentam alguma objeção que deve ser quebrada pelo vendedor.

Para funcionar, a empresa deve produzir conteúdos que atendam pessoas em todas as etapas do funil a fim de conduzi-las ao longo de toda a jornada de compra, da primeira dúvida à tomada de decisão de compra.

Esse processo aumenta a eficiência dos canais de venda, pois apenas as pessoas que já estão prestes a comprar (fundo do funil) são dirigidas a eles. Além disso, essa é uma forma das marcas participarem ativamente da “construção” dos seus clientes, educando essas pessoas e apresentando caminhos para que elas resolvam seus desejos e seus problemas

Como criar conteúdos para e-commerce?

Ao analisar as postagens de empresas e influenciadores que promovem produtos, é comum pensarmos que todo esse material é desenvolvido de maneira espontânea e sem muitos critérios. Entretanto, isso é uma ilusão.

Embora a descontração e a naturalidade sejam essenciais para conseguir engajamento nos dias de hoje, esse trabalho precisa ser realizado estrategicamente. Não há como criar conteúdos para e-commerce que deem resultado, sem realizar pesquisas ou adotar meios de monitoramento eficazes.

A seguir, você confere as etapas que não podem faltar nesse processo.

Definição de público

O primeiro passo de qualquer estratégia de marketing para e-commerce ou qualquer outro tipo de negócio, é conhecer a audiência. Só não pense que definir dados demográficos é o suficiente para conduzir uma boa estratégia de Marketing de Conteúdo.

Para conseguir criar conexão, você precisa mergulhar fundo na vida do seu público, saber seu estilo, suas dores, seus sonhos, seus hobbies e seus objetivos. Todas essas informações nos permitem criar uma personagem que representa o nosso cliente ideal, a chamada persona, para a qual os seus conteúdos devem ser fielmente direcionados.

Planejamento de ideias

Se colocar no lugar da sua persona para tentar descobrir seus anseios e dúvidas é o primeiro passo, mas um bom planejamento requer dados concretos. Você pode começar analisando o comportamento das pessoas nas redes sociais, tanto nas suas páginas quanto nas dos seus concorrentes. Muitas ideias podem ser obtidas a partir de interações e comentários, por exemplo.

Entretanto, um trabalho realmente profissional exige o uso de ferramentas. Várias plataformas na web podem ser usadas para descobrir assuntos que são populares na internet, bem como as buscas que estão sendo feitas por pessoas do seu país ou região nos buscadores.

Lembre-se que as pautas precisam contemplar todas as etapas do seu Funil de Vendas, e quanto mais “fundo” o usuário estiver em sua jornada, mais específicos devem ser os conteúdos dirigidos a ele.

Produção de conteúdo

Com as ideias prontas, chega a hora de colocar a mão na massa e dar início à criação. Pensando em conteúdos para e-commerce, podemos considerar diferentes tipos de materiais, a depender das características e da preferência da sua audiência. Os mais utilizados são:

  • lançamento de produtos;
  • comparativos;
  • guias;
  • tutoriais;
  • reviews;
  • FAQ (perguntas e respostas frequentes);
  • unboxing;
  • listas (melhores produtos do ano, opções com o melhor custo-benefício etc.);
  • tendências (looks que vão bombar em 2022, inovações mais aguardadas etc.).

Esses materiais podem ser desenvolvidos em diferentes formatos, como textos, infográficos, imagens, vídeos ou GIFs, e sua escolha deve levar em conta os canais que a sua empresa utiliza e, principalmente, a maneira como o seu público costuma consumir conteúdos na web.

Se não puder fazer isso sozinha, vai precisar de profissionais, como redatores, designers e editores de vídeos. Além disso, você pode firmar parcerias com influenciadores para que eles criem conteúdos a partir de suas pautas.

Divulgação

Os principais caminhos para divulgar conteúdos na web são os buscadores, sobretudo o Google, e as redes sociais, com destaque para as plataformas mais voltadas para negócios, como o Instagram.

Em todos os casos, é extremamente recomendável ter um site que sirva como base para a publicação dos seus materiais e para a centralização da sua estratégia. Além disso, um endereço na web agrega profissionalismo à sua marca e melhora a experiência dos seus clientes.

Considere, também, fazer parcerias com outras empresas da sua cadeia comercial que também investem em Marketing de Conteúdo, como fornecedores ou representantes. Ao promover seu conteúdo em canais de parceiros e vice-versa, ambos saem ganhando.

Análise de resultados

Por fim, uma estratégia de Marketing Digital para e-commerce deve ser mensurável. Essa é uma das maiores vantagens que a internet oferece em relação a outros meios de divulgação, e o melhor é que a publicação de conteúdos nos permite refinar ainda mais as nossas análises.

Analisando o desempenho das suas postagens, você pode definir os temas e formatos que mais dão resultados, e, a partir daí, focar a sua produção em materiais que geram mais conversão. Você pode até conduzir testes com a sua audiência para descobrir as preferência dessas pessoas por determinadas categorias ou produtos. Observe que isso pode ser útil até na manutenção do seu estoque.

Entenda que uma boa estratégia de Marketing de Conteúdo deve ser fluida, ou seja, ela precisa se adaptar de acordo com as mudanças do mercado e do comportamento do público. A otimização, portanto, deve ser contínua!

Por que vale a pena apostar no Marketing de Conteúdo?

Ainda não se convenceu sobre a eficácia do Marketing de Conteúdo para e-commerce? Então confira, a seguir, alguns motivos concretos para considerar esse investimento!

Tráfego orgânico

Ao construir uma audiência em um canal digital, existem, basicamente, dois modos de obter público: o tráfego pago (proveniente de anúncios em espaços publicitários da web) e o tráfego orgânico (formado por pessoas que encontram seu conteúdo “naturalmente” pela web).

As diferenças vão além disso, é claro, mas o que você deve saber aqui é que as principais estratégias de Marketing de Conteúdo da atualidade, como o Inbound Marketing, são focadas no segundo modo. Entre outras vantagens, o tráfego orgânico se destaca por entregar resultados muito consistentes, embora demorem um pouco mais para aparecer.

Educação do mercado

Ao disponibilizar informações claras e relevantes para o seu público, a sua empresa ganha o status de educadora, algo que pode agregar muita autoridade à sua marca. Se antes a sua loja adotava uma atuação puramente comercial, agora ela se torna uma grande comunicadora responsável por orientar seus clientes e auxiliá-los a tomarem boas decisões de compra.

Relacionamento com o público

Como a sua marca passa a caminhar, lado a lado, com o seu futuro cliente ao longo de toda a jornada de compra, um vínculo é criado. Esse relacionamento não é construído da noite para o dia, mas a cada novo conteúdo capaz de oferecer valor de verdade às pessoas. Entretanto, uma vez consolidada, essa conexão pode tornar o seu cliente um grande admirador da sua marca.

Aumento das vendas e fidelização

O relacionamento, consequentemente, favorece as vendas da sua loja, uma vez que seu público faz questão de comprar de você e também indica a sua empresa para outras pessoas. Além disso, a fidelização também é estimulada, pois o vínculo com a sua loja permanece após a compra. Para que isso funcione, porém, é preciso caprichar no pós-venda.

Quais são as melhores ferramentas para fazer Marketing de Conteúdo?

Antes de falarmos das ferramentas voltadas para a produção de conteúdo para internet, é importante destacar a importância de contar com uma boa plataforma de e-commerce.

Com o Bagy, você é capaz de gerir suas conversões e vendas em diversos canais (site, marketplaces e redes sociais) diretamente pelo celular e também atender seus clientes com enorme facilidade e eficiência, o que também é fundamental para fortalecer o relacionamento com a sua audiência.

Ainda em relação à gestão, plataformas como Trello e Asana podem facilitar a organização de tarefas e o gerenciamento de equipes. Para facilitar a otimização de textos para os buscadores, você pode usar soluções, como o Real-time Content Analysis, a versão online do famoso plugin Yoast.

Já para pesquisa e planejamento de conteúdo, as melhores ferramentas gratuitas são o Google Trends (que identifica tendências de buscas na web), o Planejador de Palavras-chave do Google Ads (informa o volume de buscas e sugestões de palavras-chave) e o Keyword Tool (semelhante ao serviço do Google, mas mais prático de acessar). Outro site interessante é o AnswerThePublic, que cria um gráfico com as principais perguntas feitas pelos usuários em torno de um tema.

Como você pôde perceber, existem várias estratégias e ferramentas de Marketing de Conteúdo para e-commerce capazes de impulsionar o seu negócio na web. Vale ressaltar que o retorno desse tipo de ação é notado em médio e longo prazo, mas com práticas bem direcionadas e otimização constantes você pode garantir resultados consistentes.

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Receba uma análise para impulsionar sua loja!

Preencha no nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas para melhorar suas vendas!

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.