Vendas

Como criar uma carta de vendas? Confira o passo a passo completo!

carta de vendas

Veja o que você irá encontrar neste artigo

O recurso da carta de vendas é um apoio importante para validar o interesse de compra do seu cliente. Quanto mais argumentos você utilizar para convencê-lo, mais firme se torna a sua decisão. Então, vale a pena aprender como criar uma carta com o apelo correto e nós vamos te ensinar a fazer isso!

O recurso da carta de vendas, quando bem empregado, pode aumentar significativamente o interesse do prospect e, até mesmo, transformá-lo em um cliente real.

Mas, para conseguir alcançar esse resultado, que é o objetivo principal do uso dessa ferramenta, é essencial que ela seja realizada da maneira ideal.

E para que isso aconteça, é necessário envolver a criação de um modelo ideal, que possua os elementos centrais que despertarão o interesse do prospect, até incentivá-lo à conversão.

Para que você aprenda como criá-la, nós preparamos esse guia especial. Vamos explicar, com um passo a passo bastante didático, como desenvolver a carta de vendas mais assertiva para o seu negócio!

O que é uma carta de vendas e para que serve?

A carta de vendas é uma ferramenta estratégica de marketing, criada para conquistar o interesse de um possível cliente sobre determinado produto ou serviço e incentivá-lo à compra.

Esse recurso já foi amplamente utilizado como técnica de vendas, conhecido, anteriormente, como mala direta.

Mas, há algumas diferenças entre os dois modelos, sendo que a carta de vendas possui uma abrangência maior na leitura sobre o prospect, aplicando técnicas mais aprofundadas para estimular a conversão.

Ela faz parte da estratégia do funil de vendas, amplamente utilizada no marketing digital. Esse tema é tão relevante, que o SEBRAE realiza cursos especialmente voltados para aprender a aplicá-lo, como destaca o portal G1.

A carta aparece no último estágio, sendo o de transformar o cliente em potencial em efetivo consumidor.

Além disso, diferente da sua antecessora mala direta, a carta de vendas possui um conteúdo mais refinado.

Ele é desenvolvido com base na técnica de copywriting, que é a escrita persuasiva, justamente para orientar o prospect a concluir a jornada de compra, concluindo que o seu item ou serviço é o que mais vale a pena no mercado.

Por que utilizar uma carta de vendas para acessar um cliente potencial?

Considerando a possibilidade de transformar um cliente em potencial em um cliente efetivo, o uso do recurso da carta de vendas se mostra como uma alternativa de baixo custo e com bom efeito.

Efetivamente, ela oferece a oportunidade de fazer um reforço da marca, colocando-a como um apoio ao cliente. Isso aumentará a conexão com a empresa e criará uma visão mais positiva.

Logo, além de realizar a conversão da venda em si, a carta também pode otimizar as chances de fidelização, demonstrando credibilidade e confiabilidade.

Se esse prospect comprar, se tornando um cliente, e ainda tiver uma experiência positiva em relação ao processo, certamente ele poderá se tornar um consumidor recorrente e embaixador da marca.

Quando utilizar a carta de vendas?

Como dito, a carta de vendas é uma ferramenta que traz bastante resultado quando utilizada na última etapa do funil de vendas.

Essa fase corresponde ao momento em que o consumidor já está decidido a adquirir determinado bem ou serviço e precisa apenas de um reforço para realizar tal ação.

Por isso, o recurso da carta surge para validar esse esforço final, sendo um apoio para que a equipe de vendas alcance o prospect e o transforme em um cliente efetivo.

Vale o entendimento de que esse prospect é uma pessoa que já está praticamente decidida a comprar aquilo que a sua empresa oferece.

Ele só precisa de um “empurrãozinho” final, que, na maioria dos casos, é a solução de alguma objeção que se mantém.

Nesse caso, ter a oportunidade de detalhar melhor o produto ou serviço, demonstrar seus objetivos e reforçar o porquê da compra em seu estabelecimento, é o motivo que falta para ele converter.

Como criar uma carta de vendas? Veja um passo a passo!

Entendida a importância que a carta de vendas possui como uma ferramenta de marketing, chegamos ao ponto da construção desse elemento.

Afinal, conforme dito, é essencial que ela leve informações precisas, com uma linguagem correta e no timing ideal, para que alcance o objetivo principal: a conversão.

Por isso, vale a pena aprender algumas estratégias para desenvolver essa carta da maneira mais assertiva possível.

Isso, certamente, aumenta as suas chances de sucesso e melhora as perspectivas de vendas. Veja só!

Estude o seu cliente em potencial

A primeira dica que podemos dar sobre a criação da carta de vendas ideal para a sua ação, é conhecer exatamente o cliente para o qual está projetando-a.

Ter essa base de conhecimento vai te ajudar a desenvolver uma linguagem muito mais objetiva e, com isso, aumentar as suas chances de alcançá-la.

Conhecer o público-alvo é algo que faz parte de qualquer estratégia de marketing. Porém, quando se está pensando em carta de vendas, isso deve ser ainda mais aprofundado.

Isso porque o seu prospect já está na última etapa da decisão de compra. A comunicação com ele precisa ser bastante direcionada e com respostas diretas aos questionamentos.

Se diferencia da comunicação com a persona, em geral, onde você desenvolve uma linguagem objetiva, mas com mais rodeios. Na carta, a intenção é conversar com aquele cliente, em específico.

Identifique os problemas e as objeções que o cliente pode ter sobre o que está oferecendo

Se a sua intenção é acabar com as dúvidas que restam e que estão impedindo o seu prospect de efetivar a compra, é essencial identificar esse questionamento para poder resolvê-lo.

Isso significa esclarecer, exatamente, tudo aquilo que pode ser um ponto de confusão.

Por exemplo:

  • O modo de usar;
  • Acondicionamento;
  • Por quanto tempo é válido o produto;
  • Em quais circunstâncias ele se aplica;
  • Por que escolhê-lo e não o concorrente;
  • Quais benefícios pode oferecer ao seu dia a dia.

Apesar de a carta ser “de vendas”, é fundamental que você convença o cliente de realizar a conversão. Isso consolida a escolha e a torna ainda mais positiva.

Desenvolva um texto que explique o porquê comprar aquilo que está oferecendo

Criar o conteúdo com base nas possíveis objeções, quebra o ritmo de recusa automática que os clientes em potencial mantêm, como uma barreira de proteção.

É comum que eles justifiquem uma série de porquês para poder adiar a decisão de compra e, por isso, você deve convencê-los a realizar a ação mais rapidamente.

Por isso, vale muito a pena, quando estiver na etapa 1, que é a de estudar o seu público, se dedicar a saber quais os principais motivos que estão os impedindo de efetuar a compra.

Isso vai te dar embasamento para a criação de um conteúdo melhor direcionado e, consequentemente, mais assertivo.

Utilize argumentos convincentes

Não se esqueça que, acima de tudo, uma carta de vendas deve incentivar o prospect a converter.

E, ainda reforçando o que dissemos nos tópicos anteriores, é necessário convencê-lo do porquê ele deve fazer isso, escolhendo o seu produto ou serviço em detrimento de concorrentes.

Para tanto, é fundamental que você tenha argumentos sólidos e bem embasados, que surjam como soluções para questionamentos ou problemas que o seu prospect tenha.

Isso ajuda a carta a se tornar mais robusta e criteriosa, e não apenas um amontoado de motivos que podem ser usados em qualquer estratégia.

Aposte em técnicas de copywriting

O copywriting é a técnica de escrita que se utiliza de elementos persuasivos para incentivar o leitor a realizar determinada ação.

No marketing, ela é uma poderosa ferramenta para apoiar as estratégias de vendas.

Usá-la em sua carta pode corroborar seus argumentos e ajudá-lo a convencer o cliente em potencial com mais efetividade.

Uma boa “copy” é criada de maneira sutil, considerando os materiais que você deve ter recolhido anteriormente, como o perfil do seu público, por exemplo.

Porém, algumas técnicas podem ser seguidas, pois ajudam a aprimorar a argumentação. São elas:

  • Usar frases curtas;
  • Manter a sua linguagem e o seu tom sempre em um mesmo ritmo, evitando modificar o estilo de comunicação;
  • Criar subtítulos que, quando lidos sozinhos, ajudam o prospect a entender o que vai encontrar no texto. Isso facilita a escaneabilidade do conteúdo;
  • Apoiar os seus argumentos em fatos concretos, para que eles sejam compreendidos como profundos.

Crie uma chamada poderosa

É essencial que você conquiste a atenção do prospect quase que imediatamente. Afinal, isso fará a diferença entre ele continuar a leitura ou deixá-la de lado.

Por isso, invista na criação de uma chamada que atraia o seu olhar e capte o seu interesse.

Lembre-se que o prospect é o cliente que está quase decidido a comprar o seu produto ou contratar o seu serviço.

Então, crie um título principal que seja decisivo para a realização da ação final.

Estude e escolha a melhor maneira de entregar esse conteúdo

De acordo com o perfil do seu público-alvo, é possível compreender que formato de conteúdo pode atraí-lo e, até mesmo, chegar nele com mais facilidade.

Por exemplo, se o seu prospect são pessoas idosas, com mais dificuldade de navegar na internet, talvez seja melhor investir em uma carta de vendas física, com material impresso.

Já se a busca é pelo público mais conectado, vale a pena apostar nas estratégias de e-mail marketing, pop-up, anúncios patrocinados.

Vale a pena usar o recurso da carta de vendas?

Certamente, a carta de vendas é um recurso poderoso para ajudar na finalização da conversão.

Ela pode ser o detalhe que falta para que o cliente em potencial se torne um efetivo comprador.

Tudo isso sem que você precise investir nenhum recurso material. Apenas conhecendo o seu público, já é possível desenvolver uma estratégia de comunicação mais assertiva.

Por isso, vale a pena estudar e entender quais são os seus prospects e onde eles estão. Isso vai te ajudar a criar uma linguagem melhor direcionada.

Além disso, algumas plataformas também contribuem para que você os alcance em determinados segmentos, como as redes sociais, por exemplo.

É o caso da Bagy, que ajuda a ven’der por essas plataformas, melhorando o processo de conversão via redes sociais e aumentando a conexão da sua loja com o prospect.

Conheça a Bagy e veja como ela pode oferecer uma solução para o seu negócio.

Pedro Fonseca

Especialista em Marketing e Estratégias Digitais, atua no mercado de e-commerce a mais de 3 anos. Hoje seu principal foco, como CMO na Bagy, é trazer conteúdo relevante para empreendedores de todos os portes e segmentos, a fim de melhorar seus resultados e disseminar boas práticas no comércio eletrônico.

Tenha um site pronto para sua loja vender!