Gestão

Razão social: aprenda o conceito, importância e como escolher a ideal para o seu negócio

Imagem ilustrativa de o que é razão social

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Item essencial para quem quer abrir sua própria empresa, a razão social além de te acompanhar por toda sua trajetória nos quesitos legais, ela também estará presente nos seus documentos. Porém, não se engane: razão social não é o mesmo que nome fantasia.

Quando uma pessoa começa a pensar em abrir o seu próprio negócio, várias questões precisam ser definidas. Alguns exemplos disso são a definição do nicho de atuação, localização da empresa, se vai atuar com site próprio ou por meio de marketplaces e por aí vai.

A melhor forma de estruturar tudo isso é desenvolvendo um planejamento estratégico, visto que, com ele, a decisão de escolhas acertadas será muito mais fácil.

Porém, mesmo que tudo já esteja alinhado tanto no planejamento quanto na cabeça do empreendedor, uma coisa não pode faltar: o nome. E mais do que isso, além do nome é preciso pensar também na razão social da empresa, que nada mais é do que o seu nome oficial.

Num primeiro momento, todos esses pontos podem ser bem confusos – afinal, por que ter um nome oficial diferente do nome popular? Mas acalme-se, a distinção entre cada um é simples e você vai poder conferir melhor sobre o assunto no texto a seguir.

Boa leitura!

O que é razão social? 

A razão social é uma das informações mais importantes de uma empresa, se não for a mais. Junto do endereço e do CNPJ, ela é a comprovação de que seu negócio realmente existe.

Basicamente, a razão social é o nome legal de uma empresa, ou seja, é a identificação que constará em documentos oficiais, escrituras, contratos e notas fiscais.

Item obrigatório para que um empreendimento possa ser aberto, a razão social também pode ser chamada de denominação social ou firma empresarial.

Para que serve? 

A razão social possui uma importância bem grande em uma empresa, pois é o nome que vai estar presente em todos os tipos de documentos que remetem a ela. 

Portanto, qualquer ato legal que você precise fazer precisará constar a razão social da sua empresa, como por exemplo: contratos, notas fiscais, identificação nas faturas do cartão de seus clientes, etc.

Como escolher a razão social ideal? 

Na hora de escolher a razão social da sua empresa, algumas regras básicas precisam ser seguidas. Veja quais são:

  • Nome de identificação da empresa: é o nome que você escolher, podendo ser o nome dos sócios ou uma sigla;
  • Área de atuação: após o nome de identificação, acrescente a área de atuação da sua empresa (Serviços de Limpeza Geral, Materiais de Construção, etc.);
  • Formato jurídico: a sigla da natureza jurídica do seu negócio será o último dos elementos da razão social.

É fundamental que você saiba qual é o formato jurídico da sua empresa, que podem ser de 6 tipos:

  1. LTDA: empresa com número limitado de sócios;
  2. EIRELI: sigla para “Empresa Individual de Responsabilidade Limitada” e normalmente tem apenas um sócio;
  3. S.A: sigla para “Sociedade Anônima”, isto é, empresas de capital aberto;
  4. EPP: sigla para “Empresa de Pequeno Porte” e que se enquadra no Simples Nacional, com faturamento entre R$ 120 mil e R$ 1,2 milhão por ano;
  5. ME: sigla para “Microempresa”, optante pelo Simples Nacional, mas que fatura até R$ 120 mil por ano;
  6. MEI: sigla para “Microempreendedor Individual” e que possui faturamento de até R$ 80 mil anual.

Entenda a importância

Como a razão social é algo que identifica o negócio, ela é única no mercado. Em outras palavras, ninguém pode ter a mesma razão social que você e, da mesma forma, você não poderá copiar esse nome oficial dos outros.

O direito da propriedade intelectual da sua razão social está garantido pela Constituição Federal, pelo Código Civil Brasileiro e pela Convenção da União de Paris para assuntos da Propriedade Industrial.

Qual a diferença entre razão social e nome fantasia? 

Lá no início do texto, comentamos que há uma certa confusão entre o nome da empresa (nome fantasia) e seu nome oficial (razão social). Pois agora chegou a hora de descobrir a diferença entre os dois tópicos.

Mesmo sendo elementos complementares, as duas coisas realmente são diferentes, isso porque a razão social é o nome oficial, que estará presente na parte burocrática da empresa, enquanto o nome fantasia é o nome pelo qual o público vai identificar sua empresa.

O nome fantasia, sendo assim, é pensado mais para o marketing, visto que precisa ser fácil de lembrar e também de pronunciar. Para aqueles que querem garantir a exclusividade desse nome, há a possibilidade de registrá-lo no Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI) – porém isso não é obrigatório.

Então, para acabarmos de vez com as dúvidas, segue um resumo:

  • Razão Social: nome jurídico da empresa e que estará presente em seus documentos oficiais;
  • Nome Fantasia: nome que o seu público vai te chamar.

Posso ter dois nomes fantasias?

A possibilidade de ter dois nomes fantasias sob uma mesma razão social é permitido desde que o ramo da atividade das empresas seja o mesmo. Para verificar isso, basta dar uma olhada na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

Como registrar a sua razão social? 

Agora que você já sabe o que é razão social da empresa e qual é a sua importância, chegou a hora de registrar a sua. Para se ter uma noção da importância desse registro, é nessa hora que sua empresa fica, de fato, oficial.

Para que você possa registrar a sua razão social, alguns passos precisam ser dados – e eles são bem simples.

Em primeiro lugar, você vai precisar ir até a Junta Comercial da sua cidade ou em um cartório de registro civil de pessoas jurídicas. Depois, faça a solicitação do Requerimento Padrão de registro de empresa.

Feito isso, é necessária a documentação, que pode variar dependendo do tipo do seu negócio. Geralmente, é solicitada a Ata da Assembleia Geral de Constituição ou contrato social. Para quem é MEI, no entanto, os documentos são diferentes:

  • CNPJ da empresa (que normalmente está no cartão MEI);
  • Alvará de funcionamento;
  • Cadastro na Previdência Social;
  • Modelos 1 e 2 da Ficha de Cadastro Nacional (FNC);
  • Cópia autenticada de documentos do proprietário da empresa.

É possível mudar a razão social depois de registrada?

Depois que sua razão social é registrada, ela pode, sim, ser alterada. Contudo, algumas burocracias precisam ser enfrentadas, principalmente para verificar se você não está infringindo a lei.

Para que sua razão social seja modificada, você precisa ir novamente à Junta Comercial ou ao cartório que foi feito o registro. Chegando lá, basta solicitar a mudança.

É importante salientar que todos os documentos de identificação legal que estejam com a antiga razão social não valerão mais. Por isso, é imprescindível que as alterações sejam feitas neles também, como certificado digital e contratos.

Sua empresa na direção certa

Definir um nome fácil de ser lembrado é um dos principais pontos para quem tem uma empresa. Além disso, quando há a conexão da sua empresa com o produto ou serviço que se vende, o ganho é em dobro.

Um bom nome faz com que você seja lembrado independentemente da circunstância em que seu cliente está. E para que sua empresa esteja sempre relacionada ao seu mercado de atuação, a razão social certa é imprescindível.

Depois de escolher o nome que te acompanhará pelos próximos anos, é hora de pensar em se posicionar online – e não tem melhor jeito para fazer isso do que com um site. E com a Bagy, essa questão pode ser resolvida rapidamente.

Em menos de 15 minutos, você monta sua loja virtual – e o melhor: sem a necessidade de ter conhecimentos em programação. 

Fácil demais, não?! E caso você precise de ajuda, nosso time de suporte está sempre a postos para te atender!

Jessica Azevedo

Marketing

Graduada em Turismo e pós graduada em Marketing Digital aplicado à Tecnologia da Informação. Tem na bagagem mais de 3 anos em SEO e tem como foco levar os melhores conteúdo para quem quer conhecer mais sobre o mercado digital.

Tenha um site pronto para sua loja vender!