Vendas

Como vender no boleto bancário? 7 coisas que você deve saber!

Como vender no boleto bancário

Veja o que você irá encontrar neste artigo

Para vender no boleto bancário, é preciso ter conta em uma instituição bancária ou realizar cadastro em uma plataforma de emissão de boletos e solicitar este serviço. Também é necessário reunir os dados do emissor, ou CNPJ, e cliente.

Se você tem um empreendimento, aprenda como vender no boleto bancário aos seus clientes para que eles tenham opções de pagamento e não precisem sair da sua loja ou do seu site em busca de outra loja que ofereça o que ele necessita.

Quando um empreendedor está disposto a abrir um negócio, ele precisa saber que uma das maneiras de se manter no mercado com um diferencial competitivo, é oferecendo diversas formas de pagamento ao seu cliente.

O público está cada vez mais exigente, e com isso, mesmo que o seu produto seja o melhor, algumas pessoas podem simplesmente deixar de comprar porque está disponível a pagar apenas no boleto bancário.

Nós da Bagy, sempre preocupados em trazer o melhor conteúdo para o empreendedor, fizemos uma lista de coisas que você deve aprender como vender no boleto bancário.

Nós sabemos que perder vendas é algo fora de cogitação para quem tem objetivos, metas, sangue empreendedor correndo nas veias, e almeja um lugar de sucesso no topo da montanha.

Continue a leitura para conhecer as 7 coisas que você precisa saber como vender no boleto bancário!

1. Tipos de boletos

Para o fluxo de caixa de um empreendedor que acabou de abrir um negócio, vender no cartão de crédito é sem dúvida a melhor forma de receber suas vendas a prazo, já que ele tem a segurança da administradora do cartão de crédito, caso o cliente não pague sua dívida.

Mas, olhando pelo lado de que o aumento de vendas pode aumentar consideravelmente, já que tem clientes que só conseguem comprar se for através dessa forma de pagamento, o boleto bancário não pode faltar entre as opções de pagamentos da loja.

Mas, antes de sair emitindo boletos por aí, entenda quais são os tipos de boletos existentes e qual é o mais vantajoso para sua empresa.

Boleto com registro

O boleto com registro é uma das formas mais seguras de vendas por boleto bancário, pois é um comunicado ao banco e vinculado ao CPF ou CNPJ do comprador e toda a operação é formalizada no sistema e os dados inseridos no boleto não podem ser alterados posteriormente.

Esse tipo de boleto exige:

  • inserção dos dados cadastrais do pagador;
  • o registro do documento pela instituição financeira;
  • a validação do documento gerado;
  • a automação do cálculo de juros e multas;
  • a ampliação da rede de pagamento;
  • o preenchimento do valor do documento e da data do vencimento;

Boletos não registrados

Este tipo de cobrança por boleto não registrado deixou de existir no ano de 2018 e foi substituído pelo registrado por ser uma forma segura e contra fraudes. Pois, os custos de emissão eram pagos às instituições financeiras apenas após a liquidação dos títulos.

Assim, os criminosos utilizavam este recurso para criar boletos adulterados com aparência de verdadeiro. Dessa forma era possível a fraude, desviando o dinheiro para conta de outras pessoas. O banco apenas servia para transferir os valores.

Boleto recorrente

Como o próprio nome diz, ele é um boleto de cobrança recorrente. O emissor pode programar a sua emissão conforme combinado com o cliente, possibilitando a organização do recebimento do recurso.

Esse tipo de boleto pode ser usado tanto para compras parceladas, que é o mais comum, quanto para o pagamento de prestação de serviços por um determinado tempo, como o caso de assinaturas e mensalidades cuja duração e valor a ser pago estão descritos no contrato.

2. Abertura de conta em instituição bancária

Para que sua loja possa emitir boleto bancário e ter mais esse diferencial competitivo dando opções de formas de pagamentos ao seu cliente, o primeiro passo é abrir uma Conta Corrente Pessoa Jurídica, na instituição financeira de sua preferência, caso ainda não tenha.

A maioria dos bancos oferecem esse tipo de serviço aos seus clientes, porém é bom ficar de olho e analisar detalhadamente sobre as taxas de administração e juros cobrados por cada um deles.

Há casos em que o empreendedor pode comprar pacote com a quantidade de boletos que pode gerar no mês, mas há também a possibilidade de pagar individualmente por cada um deles às instituições financeiras.

3. Dados do emissor do boleto

O emissor é a empresa ou pessoa que fez a venda e vai receber o pagamento do boleto no dia de sua compensação.

Embora os boletos bancários possam se apresentar com diversos layouts, o campo do emissor nunca será descartado. É imprescindível que estas informações estejam corretas para o recebimento adequado dos valores.

O campo Emissor pode vir descrito também como beneficiário, e deve conter seus dados como CNPJ e nome da empresa.

4. Preenchimento das informações

De um modo geral, o preenchimento das informações de um boleto bancário costumam variar muito pouco de uma instituição financeira para outra, mas em geral é composta por campos como:

  • Dados do cedente / avalista / sacador (é quem fará a cobrança, no caso, o banco que você escolheu). Quando você emite um boleto através da plataforma da instituição financeira escolhida, essa informação já vem preenchida automaticamente, não sendo necessário o preenchimento pelo emissor.
  • Valor do título;
  • Prazo de pagamento (data de vencimento);
  • Dados do cliente / comprador / sacado;
  • Orientações referentes à incidência de juros e multas em caso de atraso no pagamento.

5. Personalização do boleto

É possível encaminhar boletos personalizados com a logomarca da sua empresa, para isso é necessário contratar um gerenciador de boletos de confiança e que siga todas as normas da FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos.

Um boleto que contém todas as informações necessárias e a identidade visual da sua marca, evita chamadas desnecessárias dos clientes, otimizando o tempo de ambos.

6. Plataforma de geração de boletos

O boleto bancário é uma forma de pagamento que existe há muitos anos, e não é novidade para ninguém que dá pra fazer de compras à vista, até compras parceladas em muitas vezes.

Com o crescimento da tecnologia, muitas plataformas e sistemas foram surgindo, e com sem surpresa alguma, surgiram várias plataformas para gerar boletos de pagamentos.

Mais uma vez reiteramos a importância da sua loja oferecer a opção de pagamento de compras através de boleto bancário para que sua loja tenha mais vendas. Algumas pessoas não possuem cartão de crédito e não dispõe do valor total para pagamento à vista da compra, assim todos saem ganhando.

As plataformas para geração de boleto contam com sistema de gestão e softwares desenvolvidos para gerenciar todos os ítens de cobrança de forma automatizada, e escolher a melhor para sua empresa dependerá da análise de cada uma delas.

A melhor escolha pela plataforma certa, será a que impacta positivamente na sua qualidade e otimização do seu tempo, que tenham ferramentas que te auxiliem a se livrar da burocratização dos planilhas e manipulação de arquivo para conciliação bancária.

Isso mesmo, escolhendo a plataforma de geração de boletos, a sua empresa não apenas terá boletos personalizados, mas também um sistema de gestão financeira, por isso a importância de analisar as propostas disponíveis.

7. Cobrança de Juros e multas 

A opção de comprar por boleto bancário traz uma sensação de segurança para o consumidor para quitar o seu débito, além da facilidade para adquirir algo que não pode comprar à vista, ou não tem cartão de crédito, ou até mesmo não querer comprometer o limite do seu cartão.

Oferecer essa opção ao seu cliente é uma ótima estratégia, mas fique atento à cobrança de juros e multas por atraso no pagamento dos mesmos para não prejudicar o seu caixa.

Segundo o Jornal Contábil, “por lei, a multa por atraso pode corresponder em até 2% do valor do boleto, enquanto os juros de mora devem representar no máximo 1% ao mês, um valor fracionado que será aplicado sobre o número de dias que se passaram desde o vencimento”.

O Código de Defesa do Consumidor limita a cobrança dessa multa. A porcentagem é calculada em cima do valor da compra independente do quanto tempo a dívida exista, a multa continuará sendo de no máximo 2% do valor total do boleto.

Para o juros, o Código de Defesa do Consumidor também limita a 1% ao mês de acordo com o valor do título e proporcional ao atraso.

Em caso de dúvidas para calcular o juros e multas dos boletos em atraso, o gerenciador de boleto pode oferecer este serviço automatizado para sua empresa.

Agora que você aprendeu como vender no boleto bancário, é de extrema importância que você aprenda também a como gerar boletos.

Pedro Fonseca

Especialista em Marketing e Estratégias Digitais, atua no mercado de e-commerce a mais de 3 anos. Hoje seu principal foco, como CMO na Bagy, é trazer conteúdo relevante para empreendedores de todos os portes e segmentos, a fim de melhorar seus resultados e disseminar boas práticas no comércio eletrônico.

Receba uma análise para impulsionar sua loja!

Preencha no nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas para melhorar suas vendas!

Artigos relacionados

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.

Preencha nosso formulário para obter uma avaliação personalizada da sua loja e dicas exclusivas para melhorar suas vendas.